102: Navalny examinado por médico na prisão após carta aberta a Putin

 

– “… Os médicos lembram também que Putin é o fiador da Constituição russa que, no seu artigo 41 estipula que “todo cidadão”, inclusive os presos, tem direito a assistência médica.

O putinofantoche russonazi 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺 terrorista está-se cagando para os Direitos Humanos, para as leis internacionais, para a ONU e para tudo que seja contra ele.

NAVALNY // ANTI-RUSSONAZI // SAÚDE

published in: 3 semanas 

Líder da oposição russa foi examinado depois de centenas de médicos terem denunciado o seu estado precário numa carta aberta ao presidente Vladimir Putin. “Não podemos e não temos o direito de assistir de braços cruzados como a saúde do político Alexei Navalny é conscientemente prejudicada”, declararam.

© Alexander NEMENOV / AFP

O líder da oposição russa, Alexei Navalny, foi examinado por um médico na prisão, depois de centenas clínicos terem denunciado o seu estado precário numa carta aberta ao presidente Vladimir Putin, divulgou esta sexta-feira o advogado do político.

O exame foi realizado pelo chefe do hospital da prisão número 03 da cidade de Vladimir, onde o opositor esteve internado durante a greve de fome de 2021, explicou o advogado através da rede social Twitter.

Vadim Kobzev especificou que o seu cliente não recebeu nenhum medicamento, excepto os antibióticos que lhe foram administrados no dia anterior, quando o seu estado — febre e tosse – melhorou ligeiramente.

Centenas de médicos assinaram esta semana uma carta aberta dirigida a Putin para impedir os abusos na prisão contra Navalny, que adoeceu após ser novamente punido por mau comportamento.

“Exigimos que seja examinado por médicos civis e, em caso de sintomas, que seja hospitalizado para exames e tratamentos completos”, destaca a missiva.

Os médicos alertam “ser claro” que “do ponto de vista médico, Alexei não está a receber cuidados médicos suficientes e seu confinamento na cela de castigo é absolutamente contra-indicado para a sua condição”.

“Não podemos e não temos o direito de assistir de braços cruzados como a saúde do político Alexei Navalny é conscientemente prejudicada”, salientam ainda.

Para os clínicos, a “recusa dos representantes dos serviços prisionais em fornecer a Navalny os medicamentos necessários representa uma ameaça directa à sua vida”.

Os médicos lembram também que Putin é o fiador da Constituição russa que, no seu artigo 41 estipula que “todo cidadão”, inclusive os presos, tem direito a assistência médica.

Navalny, que já foi punido dez vezes desde que chegou à prisão número 06 na região de Vladimir em 2021, garantiu no Telegram que foi encaminhado para a cela de castigo em dia 31 de Dezembro, por tratar da sua higiene fora de horas.

O opositor, de 46 anos, agraciado com o Prémio Sakharov do Parlamento Europeu no ano passado, considera que o objectivo dos serviços prisionais é adoecer os reclusos para que estes não tenham outra alternativa senão colaborar.

A justiça russa rejeitou um recurso dos advogados de Navalny em Novembro e confirmou a sentença de nove anos de prisão imposta por fraude e desacato.

Diário de Notícias
DN/Lusa
13 Janeiro 2023 — 22:11

 



 

 18 total views

101: Parlamento chumba isenção de IVA e fixação de preços sobre cabaz essencial

 

– Notório o “interesse” que todos estes deputados, sem excepção, possuem pelo bem estar da sobrevivência do Povo Português, sejam eles burgueses “revolucionários”, “sociais-fascistas” ou fascistas! Nem é admiração nenhuma…

🇵🇹 PARLAMENTO // CHUMBO IVA // CABAZ ESSENCIAL

published in: 3 semanas 

O parlamento chumbou esta sexta-feira dois projectos de lei do PCP e BE que defendiam a fixação dos preços de bens alimentares essenciais, tendo também rejeitado diplomas do Chega e PAN que propunham a isenção de IVA sobre esses produtos.

António Cotrim / Lusa

Os diplomas do PCP e do Bloco de Esquerda foram chumbados com os votos contra do PS, PSD, Chega e Iniciativa Liberal e votos favoráveis dos proponentes, do PAN e do Livre.

No seu projecto de lei, o PCP propunha “a criação de um regime de preços máximos, a aplicar a um cabaz alimentar essencial, que defina um preço de referência para cada um dos produtos, com base nos custos reais e numa margem não especulativa, proibindo a venda a um preço superior sem justificação atendível”.

Por sua vez, o diploma do BE sugeria a criação de um “mecanismo de intervenção e fixação do preço de bens alimentares essenciais”, para garantir “preços não especulativos e o desagravamento do custo de vida”.

O parlamento ‘chumbou ‘ também dois projectos de lei do Chega e do PAN que propunham a isenção de IVA sobre bens alimentares.

O projecto do Chega foi rejeitado com os votos contra do PS, abstenção do PSD, PCP, BE, PAN e Livre, e voto favorável do proponente. Já o diploma do PAN foi chumbado com os votos contra do PS, abstenção do PSD, Chega, PCP, BE e Livre, e voto favorável do proponente.

O projecto de lei do Chega propunha a isenção de IVA em “cereais e preparados à base de cereais; carnes de espécie bovina, suína e aves; peixe fresco ou refrigerado; leite em natureza, concentrado, esterilizado, evaporado, pasteurizado, ultra-pasteurizado; ovos; azeite; frutas frescas”.

Já o diploma do PAN sugeria essa mesma isenção para os cereais, arroz, massas alimentícias e “pastas secas similares”, pão, frutas, legumes e produtos hortícolas previstos no código do IVA.

Os deputados aprovaram ainda por unanimidade que baixassem à Comissão da Agricultura e do Mar, sem votação na generalidade, dois diplomas do PAN que visavam designadamente “estabelecer obrigações para os supermercados e empresas similares, relativamente aos géneros alimentícios habitualmente considerados como ‘fruta feia’” e alterar o código do IRC para fornecer “incentivos fiscais à doação de alimentos”.

Lusa // ZAP
13 Janeiro, 2023



 

 21 total views

100: Explosão em gasoduto que liga Lituânia à Letónia

 

– Curioso… “A explosão aconteceu no momento em que a Lituânia comemorava o 30º aniversário do dia em que as tropas soviéticas cruzaram a fronteira numa tentativa fracassada de reocupá-la depois do país ter declarado a sua independência.” Estes russonazis 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺 têm ADN de “conquistadores” terroristas de países soberanos…

🇱🇹 LITUÂNIA // 🇱🇻 LETÓNIA // EXPLOSÃO // GASODUTO

published in: 3 semanas 

Dados preliminares indicam que não há feridos, segundo a operadora de gás.

Foto Facebook

Foi registada esta sexta-feira uma explosão no gasoduto Amber Grid, que liga a Lituânia à Letónia. A explosão ocorreu no norte da Lituânia e as autoridades terão evacuado uma povoação, segundo a agência de notícias BNS.

Dados preliminares indicam que não há vítimas a registar, informou a operadora de gás.

“Ocorreu uma explosão no gasoduto Amber Grid no distrito de Pasvalys. De acordo com dados preliminares, ninguém ficou ferido”, disse a Amber Grid em comunicado, divulgado no site. “A explosão ocorreu longe de edifícios residenciais”, acrescentou a empresa.

O gasoduto em causa é usado para fornecer gás ao norte da Lituânia e para transportar gás para a Letónia.

Nemunas Biknius, CEO da operadora do sistema de transporte de gás Amber Grid, lamentou o incidente e fez saber que já está em curso uma investigação para apurar as circunstâncias da explosão.

“No momento, todos os nossos esforços e os dos serviços responsáveis ​estão focados em conter as consequências do incêndio e garantir a segurança”, refere o responsável, em comunicado.

Para reduzir dependência energética da vizinha Rússia, a Lituânia proibiu, desde Junho de 2022, a importação de gás russo.

A explosão aconteceu no momento em que a Lituânia comemorava o 30º aniversário do dia em que as tropas soviéticas cruzaram a fronteira numa tentativa fracassada de reocupá-la depois do país ter declarado a sua independência.

Com AFP

Diário de Notícias
DN
13 Janeiro 2023 — 18:36



 

 18 total views

99: Em 1977, Exxon sabia do aquecimento global… e não avisou ninguém

 

🇺🇸 AQUECIMENTO GLOBAL // EXXON // OCULTAÇÃO

published in: 3 semanas 

Empresa elaborou documentos científicos com “capacidade e precisão impressionantes”. Mas a sua administração decidiu manter segredo.

jeepersmedia / Flickr

Tal como no caso do aeroporto de Lisboa (mantendo as devidas distâncias), em 1977 já se falava sobre o aquecimento global.

Um assunto tão repetido nos dias que correm – tal como o aeroporto lisboeta.

A diferença é que, em 1977, os primeiros documentos sobre o aquecimento global foram mantidos em segredo.

A revelação surge num estudo publicado na revista Science, nesta quinta-feira: a Exxon já previa o aquecimento global há 46 anos.

A empresa petrolífera andou a elaborar estudos sobre o assunto durante 26 anos. Mais concretamente entre 1977 e 2003.

Durante esse período “os cientistas da Exxon modelaram e previram o aquecimento global com uma capacidade e precisão impressionantes“, segundo uma autora do estudo, Naomi Oreskes.

Mas a sua administração decidiu não revelar as suas conclusões a ninguém. A empresa “passou décadas a negar essa descoberta”.

Refira-se que a Exxon passou a ser ExxonMobil em 1999, quando comprou a Mobil.

A CNN detalha que, desde cedo, os investigadores ligados à Exxon avisaram que a temperatura global do planeta iria subir 0,2.ºC em cada 10 anos.

São estimativas antigas que coincidem com as mais recentes: há previsões consensuais que apontam para um aumento de 0,19.ºC em cada década.

O estudo divulgado agora confirma as notícias que circularam há oito anos, que sugeriam exactamente isto: a empresa tinha dados concretos sobre o aquecimento global mas preferiu manter segredo.

Sendo uma empresa petrolífera, a Exxon começou cedo a estudar o impacto causado pelos combustíveis fósseis nas alterações climáticas.

Mas esta é a “primeira avaliação quantitativa e sistemática das projecções climáticas da indústria dos combustíveis fósseis”, disse Naomi Oreskes.

E outras empresas ligadas a combustíveis fósseis terão feito o mesmo: “Temos provas de que todas as empresas de combustíveis fósseis estavam cientes da ameaça dos gases de efeito estufa produzidos pelo uso normal dos seus produtos desde os anos 1970 e até mesmo os anos 1960″.

“Também temos provas de que outros sectores relacionados aos combustíveis fósseis – como os fabricantes de automóveis – já estavam conscientes do problema desde a década de 1960.

E sabemos que outras empresas financiaram investigações académicas sobre o assunto, em universidades importantes como a Columbia, em Nova Iorque, nas décadas de 1970 e 1980″, anunciou a responsável pela análise.

ZAP //
13 Janeiro, 2023



 

 21 total views

98: O mecanismo

 

🇵🇹 OPINIÃO

published in: 3 semanas 

O mecanismo que o Governo apresenta ao Presidente da República, a coberto de uma ideia de escrutínio adicional do passado de putativos membros do Governo, dito “mecanismo para garantir transparência”, aparenta ser, simultaneamente, uma ideia má e uma ideia perigosa.

Uma ideia má porque ameaça diluir adicionalmente a responsabilidade política do exercício, temporário, de mandatos públicos, e que inclui também a responsabilidade pela escolha e pelos resultados.

Para mais podendo criar uma espécie de partilha complementar, neutralizada pela burocracia e por uma semântica bem-intencionada de “integridade e transparência”, de deveres entre Governo e Presidente, tornando na prática mais presidencialista um regime que não precisa disso. E sem as consequências devidas desse resultado.

E uma ideia perigosa porquê? Porque assenta na presunção de que alimentar adicionalmente o voyeurismo mediático e a propensão para a inveja e para o exercício da pequena vingança que por aqui grassa há séculos é um dever de legalidade, até de “transparência”, e um dever ético.

Não é culpa da “falta de mecanismo” que o universo de recrutamento do actual Partido Socialista para o exercício de funções políticas tem vindo a encolher extraordinariamente.

É culpa essencialmente do Governo e do Parlamento: ao preferirem pagar mal aos políticos e a (alguns) titulares de altos cargos públicos e ao aceitarem e até acicatarem o clima de destruição da reputação pública, normalmente com base em suspeições, meias-verdades ou puras mentiras, de quem exerce funções públicas, misturando aldrabões com gente séria.

O que sobra? Sobra o processo actual de municipalização apressada e de partidarização abusiva do Governo no recrutamento para funções nacionais, para o que a devoção do primeiro-ministro pela suma virtude da lealdade canina para consigo, em detrimento de outros atributos, também não deve contribuir positivamente.

E isto não colide, aliás, com a existência de denúncias públicas e de escrutínio adicional, aparentemente devidos, de quem recebe e não devolve, entrando na ilegalidade, indemnizações de empresas públicas; ou de quem, para mais sendo autarca, viola flagrantemente o Código dos Contratos Públicos e acha que o pode fazer com impunidade; ou de quem, tendo sido membro do Governo, opta por, sendo despedida dessa função, integrar uma pessoa colectiva a quem atribuiu subsídios e isenções fiscais, fingindo que essas incompatibilidades legais não existem.

Tudo isso deve ser claro e público. O drama é que, ao julgar-se uma pessoa no Facebook ou num jornal e não num tribunal, julgamos sempre pelo mesmo padrão e pelos mesmo factos, existam estes ou não: são todos ladrões, são todos corruptos, são todos da mesma laia.

Não é verdade – uns são mais ladrões que os outros. E há uns até que, parecendo ser ladrões pela reputação entretanto criada no público, não o são – são gente honesta e decente.

Sumariando a ideia de base, a tese é a seguinte, feita na base telegráfica e essencial das teses defendidas em Coimbra até ao século XIX: quem é responsável por quem integra o Governo é o primeiro-ministro e os ministros; quando isso corre mesmo mal, são, portanto, eles os responsáveis políticos e até jurídicos, nem que seja pela vergonha alheia que causam, o que Pedro Nuno Santos percebeu e exerceu; para além disso, autarcas corruptos, funcionárias de empresas públicas venais e outros oportunistas de circunstância, que sempre existiram e existem, devem ser zurzidos pelas instituições, mas com a devida e pública demarcação intrínseca de quem é sujo e de quem é limpo.

Nada disto uma semântica de conveniência pode alterar ou reparar. Entidades da transparência, mecanismos disto e daquilo… A tristeza de tentar tornar administrativo o que é dignamente político. Estão preocupados com a execução rápida do PRR? Não deviam.

A preocupação essencial é a da probidade absoluta e do desinteresse pessoal na função pública, e não a do prazo do dia seguinte. Contratai anjos – que o PRR faz-se depois.

Professor da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa

Diário de Notícias
Miguel Romão
13 Janeiro 2023 — 01:18



 

 22 total views

97: Da importância de uma Georgina morena e não loira, na Arábia Saudita!

 

🇵🇹 OPINIÃO

published in: 3 semanas 

Fosse loira, não seria levada a sério para lá do anúncio ao shampoo e amaciador! É este ponto que Georgina deve incorporar mentalmente, vestir esta camisola, a qual combinará na perfeição com a restante toilete.

De que falo? Daquilo que já percebi incomodar muita mulher ocidental, a ostentação da “milionária-consorte” por terras do Islão.

O ouro para os árabes (falo de muçulmanos), exerce um fascínio contraditório, por via da religião. Tal qual os católicos, os muçulmanos reformistas pugnam por um “quanto mais sofreres na Terra mais direito terás ao Paraíso”.

Ora ouro, diamantes, joias, são ostentação na Terra, havendo narrativas das casas em ouro a que cada “djanatyii”, cada “paradisiável” terá direito, caso siga a “tarika”, caminho, correcto na Terra.

Esta é a mensagem religiosa, veiculada nos “khutbas”, nos sermões nas mesquitas, mas também em missões prosélitas intra-comunidades, ao jeito das Testemunhas de Jeová. Ou seja, esta é a teoria!

Na prática, o novo-riquismo árabe alavancado no petróleo e no gás, colocou-os perante o fascínio do dinheiro que tudo pode e o dilema em optar entre a tradição e a modernidade, o cosmopolitismo que dilui práticas de gerações.

Por isso mesmo estes milionários dividem a vida entre a “santa-terrinha” e as grandes capitais europeias.

A normalidade de uma Georgina, a partir de agora poder ser vista a ir às compras com uns brincos de diamantes, é o que a mulher saudita quer, porque é o que ela também quer fazer. Dar uma continuidade de normalidade na sua vida, lá dentro, como tem cá fora! Fosse loira, seria mais uma modelo e ninguém a levaria a sério.

Georgina, a influenciadora, poderá ter aqui uma oportunidade de ajudar a revolucionar mentalidades. Uma morena sem hijab, dá muito mais nas vistas por Riad que uma loira, convenhamos!

E Georgina tem “pele de saudita” e contribuirá, talvez sem o perceber, para essa necessária banalização de cabelos familiares ao vento.

Tudo isto em conjunto com as rotinas e atitude de mulher independente que entra no carro sozinha e vai buscar o namorado ao treino, para o levar a almoçar, sem ter que “dar pataco” seja a quem for, vai provocar nas sauditas um natural “olhem para ali e percebam que não há pecado na felicidade”!

E lá, como cá, as mudanças têm sempre que vir de fora. O estrangeiro é sempre melhor “e estes dois até são parecidos connosco, só podem ser ainda melhores”, dirão!

O facto do “casal perfeito”, que vive em concubinato, poder usufruir de uma excepção para tal, vem tirar de cima dos casais sauditas que vivem fora-da-lei, por não serem casados, o peso do sermão do Imam que diz que vivem como os cães, sem papel passado.

Outra regra social que mais rapidamente agora será despenalizada. Ou seja, o Estado está a dar sinais que quer deixar de ir para a cama com os seus cidadãos.

Rapidamente também a homossexualidade deixará de ser considerada crime. Um longo caminho a percorrer, mas cujo impacto da passagem destes dois galácticos pelo detentor dos lugares sagrados do Islão, poderá muito bem encurtar.

O erro, a tentação, estará na indumentária. Georgina terá aqui também um verdadeiro teste à criatividade. Idealmente terá que ser sofisticada, sem cair na banalidade.

Credível, bem-visto e certamente até desejado pela indústria da moda local é terem como imagem de promoção uma Georgina que, uma vez mais, poderá contribuir para uma nova imagem da moda e da mulher saudita.

Sofisticada, já com carta de condução, sem tutor masculino atrás, independente, produtiva e carregada de diamantes, o que também espelha os altos níveis de segurança do reino, um dado ao jeito causa-efeito que não deixará de ser maximizado pelas autoridades locais.

Compreendo bem o alcance da contratação deste binómio de perfis de sucesso, com toque de Midas, pela Casa de Saud. E Ronaldo, pode até nem ser o actor principal nesta fita!

Politólogo/arabista www.maghreb-machrek.pt
Escreve de acordo com a antiga ortografia

Diário de Notícias
Raul M. Braga Pires
13 Janeiro 2023 — 01:18



 

 19 total views

96: Da crise brasileira ao perigo global iraniano

 

– Considero de uma hipocrisia e cinismo atrozes, a admissão na ONU de países com regimes políticos de ditadura terrorista e assassina e, mais grave ainda, com direito a VETO! Esta condição não dignifica, em nada, a composição da ONU, tornando-a conivente com esses regimes.

🇵🇹 OPINIÃO

published in: 3 semanas 

A gravidade do que aconteceu a 8 de Janeiro em Brasília é indiscutível. Convém, no entanto, ter presente que se tratou, simultaneamente, de actos de violência criminosa e de um enorme desafio político.

As instituições judiciárias ocupar-se-ão da parte criminal e o Presidente Lula da Silva deverá responder à questão política, que passa sobretudo pelo fortalecimento da unidade nacional.

Quero acreditar que o conseguirá, tendo em conta a força das instituições democráticas do país e a sua experiência política pessoal.

Das imagens chocantes, que os brasileiros puderam ver em directo, parece ter resultado uma nova atmosfera política mais moderada. E também a compreensão que os comportamentos antidemocráticos são inadmissíveis, em toda a parte e sobretudo num país que tem a pretensão de poder exercer algum tipo de liderança na cena internacional.

Penso, por isso, que não existem motivos para preocupação quanto ao futuro democrático do Brasil. Lula deve, no entanto, compreender que a prioridade é unir na medida do possível os cidadãos no combate aos problemas que de facto contam, a começar pela luta contra a pobreza e as desigualdades sociais, pelo reforço da segurança das pessoas e pela protecção do Amazonas e dos outros ecossistemas que fazem a riqueza e universalidade do país.

Para nós, no exterior, é altura de virar esta página e continuar o foco na procura de soluções para os problemas que realmente ameaçam a paz internacional.

Neste início de ano, é fundamental reconhecer que a comunidade das nações se encontra numa encruzilhada extremamente perigosa, no que respeita à convivência pacífica entre os Estados.

O caso da Rússia contra a Ucrânia é certamente o mais grave. Mas o que se passa no Irão é igualmente preocupante. Requer medidas muito sérias. O regime do Irão é uma ameaça aterradora para os direitos humanos do seu povo e uma das piores aberrações políticas na cena internacional.

É um perigo para os vizinhos, um fornecedor de drones que aumentam o potencial mortífero dos agressores russos e é um potencial patrocinador de atentados terroristas, incluindo no espaço europeu. Está, além disso, à beira de dispor de meios bélicos de base atómica.

Ou seja, reúne um número suficiente de condições para ser considerado um Estado pária, inaceitável como membro da comunidade internacional.

Por outro lado, há que reconhecer a coragem do povo iraniano, que desde Setembro tem estado nas ruas para exigir o fim da ditadura dos aiatolas.

Apesar da repressão já ter matado para cima de 500 pessoas, e de já haver 17 condenados à morte, quatro dos quais já foram executados, sob a acusação absurda de “terem declarado guerra contra Deus”, as manifestações continuam.

Ao mesmo tempo, um trabalhador humanitário belga, com uma história profissional perfeitamente reconhecida, foi esta semana condenado a 40 anos de prisão e a 74 chicotadas, sob a falsa acusação de espionagem.

Este é um procedimento já seguido contra outros estrangeiros, sendo o caso mais famoso o de Nazanin Zaghari-Ratcliffe, uma anglo-iraniana que esteve detida durante seis anos por razões de chantagem política sobre o Reino Unido, e que foi libertada há cerca de um ano.

Mas há mais. A França tem sete cidadãos seus encarcerados no Irão. Há mais de vinte ocidentais na mesma situação. A acusação é sempre a mesma: espionagem e incitação à agitação social. Tudo inventado.

O Irão não pode continuar a ser uma ameaça impune. Porém, a grande questão é saber como deve a comunidade internacional resolver situações deste tipo. Do lado europeu, existem sanções, mas isso não chega.

Além do apoio russo, o Irão conta com um acordo de cooperação com a China, assinado em Março de 2021 e válido por 25 anos. Este acordo é particularmente importante para a manutenção no poder dos retrógrados religiosos.

Se a China quiser ser levada a sério quando fala na promoção de uma nova ordem internacional, deverá começar por recusar tratados deste género. É isso que nós europeus devemos sublinhar quando os chineses nos propõem um sistema multilateral menos ocidentalizado e mais representativo das realidades globais.

Essas normas globais são muito fáceis de definir: devem ter como ponto de partida os direitos fundamentais das pessoas e a exclusão dos regimes políticos que não respeitam esses direitos elementares.

Conselheiro em segurança internacional.

Ex-secretário-geral-adjunto da ONU

Diário de Notícias
Victor Ângelo
13 Janeiro 2023 — 01:18



 

 18 total views

95: Ramstein, 20 de Janeiro de 2023. O ataque é a melhor defesa

 

– Se o Ocidente tivesse fornecido a Kiev, logo no início da invasão dos russonazis 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺 do putinofantoche, o material bélico que permitisse expulsar o invasor terrorista, não tínhamos chegado a este ponto de destruição, assassínios, morte e deslocamento de milhares de ucranianos. A rússianazi 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺 de hoje é igual à URSS nazi do passado, não fazendo diferença quem está nos comandos se Estaline, Lenine ou o putinofantoche russonazi 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺. É tudo farinha podre e bichosa da mesma saca, altamente virulenta e corrosiva.

🇵🇹 OPINIÃO

published in: 3 semanas 

Mykailo Podolyac, Conselheiro do Presidente ucraniano Zelensky, não se cansa de pedir aos países ocidentais a entrega de tanques pesados, sejam os ingleses Chalenger 2, ou os alemães Leopard, de 70/ 80 toneladas, destinados a reforçar o sistemas de defesa ucranianos.

Dir-se-á que as características destes tanques os inserem na componente militar ofensiva e podem ser considerados por Moscovo como um envolvimento mais activo do Ocidente na guerra da Ucrânia. Por outras palavras, há o perigo de uma escalada do conflito.

Seguramente que sim! É um risco! Com certeza que sim! Mas será que resta outra alternativa aos países ocidentais que não seja fornecerem à Ucrânia sistemas e ferramentas militares que lhe possibilitem uma vitória?

Não está já o Ocidente envolvido, inevitavelmente, na guerra da Ucrânia de tal modo que não pode correr o risco de “perder a face”, com uma derrota de Kiev e a possibilidade da Rússia alimentar ambições imperialistas em relação aos países mais próximos da fronteira russa como os bálticos, a Polónia ou mesma a Finlândia.

No próximo dia 20 de Janeiro, 50 países ocidentais vão reunir-se na base aérea alemã de Ramstein para decidirem como vão continuar a apoiar a Ucrânia. O que têm em cima da mesa como decisão vital é, justamente, a configuração do tipo de material bélico que vão entregar a Kiev.

Sistemas defensivos ou evoluir para meios mais ofensivos, de maior alcance, que possibilitem à Ucrânia reconquistar partes ocupadas do seu território e atingir alvos russos ali situados.

O que está em causa na guerra da Ucrânia não é apenas a segurança dos tratados internacionais que conferem aos países a sua soberania e a inviolabilidade das suas fronteiras.

Estão em causa também os valores que marcam as sociedades ocidentais, como os princípios democráticos, a liberdade de imprensa, o primado da paz e da concórdia entre os povos.

Ora convenhamos que é isto tudo que a atitude russa põe em causa, ao invadir um a país soberano com um povo com forte sentimento patriótico.

Há alguns sinais que a 20 de Janeiro, em Ramstein, os 50 países ocidentais podem atribuir à Ucrânia os meios militares de nível superior que esta necessita para aspirar a uma vitória sobre as forças de Moscovo.

O Reino Unido disponibilizou já cerca de 10 tanques Chalenger 2. Por outro lado, a Polónia estará, igualmente, disponível para fornecer a Kiev, 14 blindados Leopard, através da instituição de uma coligação internacional. Veremos o que Portugal vai fazer, dado possuir também tanques Leopard. A Alemanha será decisiva neste assunto.

Enquanto fabricante original, possui direitos de reexportação. Por outras palavras, Berlim terá de autorizar, previamente, o envio de tanques Leopard para a Ucrânia, originários de qualquer outro país.

O Ocidente não pode continuar a dar sinais de excessiva prudência perante as constantes ameaças de Moscovo. Não pode temer a permanente narrativa de Moscovo, com as suas cíclicas ameaças.

Ou “encolher-se” quando Putin preside á cerimónia de envio da fragata Gorshkov, equipada com mísseis nucleares hipersónicos “Zircon”, com capacidade para atingirem qualquer capital europeia. Fragata que vai andar a passear-se nos Oceanos Atlântico, Índico e no Mar Mediterrâneo.

Deste modo, de Ramstein, no dia 20 de Janeiro, terá de sair uma decisão que dê aos ucranianos todos os instrumentos necessários à sua defesa e à sua vitória.

Sejam eles defensivos ou de características mais ofensivas. Se assim for feito estará adoptada a velha máxima popular de que, muitas vezes, o ataque é a melhor defesa. E parece ser isso que os ucranianos querem. Atacar para melhor se defenderem.

Jornalista

Diário de Notícias
António Capinha
13 Janeiro 2023 — 01:19



 

 18 total views

94: Robô-cirurgião Da Vinci Xi já faz operações no Porto

 

– Gostava de saber quem tem acesso a este tipo de intervenções… robóticas! E o Xi é para designar a origem chinesa da máquina?

🇵🇹 SAÚDE PÚBLICA // ROBÔS // CIRURGIAS

published in: 3 semanas 

Última geração desta tecnologia chegou ao Hospital CUF Porto. Especialistas veem vantagens para o doente, incluindo na recuperação.

Robô-cirurgião Da Vinci Xi
Foto DR

Há menos de um ano, anunciava-se a primeira cirurgia remota de cancro da mama feita com recurso a 5G. Agora há robôs-cirurgiões no activo, a ajudar os médicos em operações de precisão. A tecnologia está a entrar em força na saúde pela mão de grupos privados, que têm posto a inovação ao serviço dos portugueses.

O mais recente exemplo deste investimento na melhoria da qualidade dos serviços está no Hospital CUF Porto, que adquiriu um modelo de última geração de sistemas cirúrgicos robóticos e está já a conseguir resultados muito positivos no que respeita à precisão, flexibilidade e capacidade de controlo nas operações em que é usado.

De acordo com publicações especializadas, o robô-cirurgião implica um investimento que ronda os 2 milhões de euros.

Em estreia nacional nesta unidade da CUF – há já modelos Da Vinci de tecnologia anterior nos blocos operatórios de outros privados, incluindo Luz, Lusíadas, Champalimaud, e também no Curry Cabral -, o Da Vinci Xi, que chega ao Porto, é a última geração dos sistemas cirúrgicos robóticos.

O robô permite fazer operações menos invasivas e de maior precisão, o que ajuda a reduzir a dor no pós-operatório e a que o doente recupere com mais rapidez, ficando com cicatrizes mais pequenas.

A Urologia é uma das especialidades em que tem dado provas de eficácia, sobretudo em casos de tratamento do cancro da próstata e rim, mas também tem sido usado com êxito em cirurgias bariátricas, colorretais, ginecológicas (para tratamento da endometriose), entre outras.

“Está comprovado cientificamente que a cirurgia robótica traz vantagens quer para o doente quer para o cirurgião e permite ultrapassar algumas limitações da cirurgia laparoscópica na realização de intervenções mais complexas”, explica Rui Prisco, coordenador de Urologia no Hospital CUF Porto.

Robô-cirurgião Da Vinci Xi
© DR

De acordo com os especialistas, o Da Vinci Xi funciona como uma extensão dos olhos e das mãos do médico, permitindo executar procedimentos cirúrgicos com maior precisão, flexibilidade e controlo, e realizar procedimentos complexos com maior facilidade.

A imagem tridimensional de alta definição é ampliada, o que possibilita ao médico, durante a cirurgia, ver o que antes era difícil ou até impossível de detectar.

Para além de proporcionar uma melhor ergonomia ao cirurgião, que opera sentado numa consola, a cirurgia robótica “aumenta a precisão dos movimentos do médico e a estabilidade dos instrumentos no campo operatório, filtrando o tremor natural do cirurgião”, concretiza Rui Prisco.

O coordenador do Hospital CUF Porto revela ainda as vantagens concretas que traz às operações relacionadas com o tratamento do cancro da próstata, depois de realizada a primeira cirurgia com recurso ao robô.

“A remoção total da próstata é uma cirurgia exigente e de grande dificuldade técnica” e o Da Vinci Xi traz “uma grande mais-valia”, já que garante “menor risco de complicações cirúrgicas e de efeitos secundários associados”.

É a robótica a revolucionar a forma como se opera no país. O procedimento é realizado exclusivamente por equipas “especializadas, certificadas e com muita experiência”, do cirurgião aos enfermeiros e anestesistas, e a CUF acredita que a instalação deste sistema robótico vai permitir dar uma resposta mais diferenciada às necessidades dos doentes, aumentando o acesso da população da região a tecnologia de última geração.

O grupo CUF vê nesta aquisição mais um passo no seu posicionamento de vanguarda “da inovação ao serviço da medicina”. Segurança clínica e conforto para o doente são as “prioridades assumidas” com o hospital a tornar-se na primeira unidade de saúde privada a norte a dispor desta tecnologia robótica de última geração.

Diário de Notícias
Joana Petiz
13 Janeiro 2023 — 00:39



 

 20 total views

93: Chuva volta e temperatura baixa no fim de semana. Esperada neve na Estrela e no Gerês

 

🇵🇹 METEOROLOGIA // CHUVA // NEVE // MAU TEMPO

published in: 3 semanas 

Chuva terá início no início da noite de sábado para domingo no litoral e vai estender-se gradualmente a todo o território

A chuva vai regressar a Portugal Continental no início da noite de sábado para domingo e virá acompanhada de uma frente fria que vai levar a uma descida das temperaturas. Nos pontos mais altos, é a primeira neve de 2023.

A chuva terá início no início da noite de sábado para domingo no litoral e vai estender-se gradualmente a todo o território, sendo menos frequente e menos intensa na região sul”, explicou à TSF a meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), Patrícia Marques.

A frente fria vai levar a uma descida das temperaturas máxima e mínima, o que vai acontecer “de forma mais significativa no domingo.”

As temperaturas mínimas vão rondar os 0º C no distrito da Guarda, 2º C em Viseu e Bragança e 3º C em Vila Real, que vão viver de forma mais intensa esta vaga de frio.

Patrícia Marques admite que podem ser emitidos avisos meteorológicos devido a neve acima dos 1000/1200 metros de altitude, na Serra da Estrela e na Serra do Gerês.

Diário de Notícias
DN
13 Janeiro 2023 — 10:11



 

 18 total views