97: Da importância de uma Georgina morena e não loira, na Arábia Saudita!

  • 2 semanas 
  • 4Minutes
  • 726Words
  • 15Views

 

🇵🇹 OPINIÃO

published in: 2 semanas 

Fosse loira, não seria levada a sério para lá do anúncio ao shampoo e amaciador! É este ponto que Georgina deve incorporar mentalmente, vestir esta camisola, a qual combinará na perfeição com a restante toilete.

De que falo? Daquilo que já percebi incomodar muita mulher ocidental, a ostentação da “milionária-consorte” por terras do Islão.

O ouro para os árabes (falo de muçulmanos), exerce um fascínio contraditório, por via da religião. Tal qual os católicos, os muçulmanos reformistas pugnam por um “quanto mais sofreres na Terra mais direito terás ao Paraíso”.

Ora ouro, diamantes, joias, são ostentação na Terra, havendo narrativas das casas em ouro a que cada “djanatyii”, cada “paradisiável” terá direito, caso siga a “tarika”, caminho, correcto na Terra.

Esta é a mensagem religiosa, veiculada nos “khutbas”, nos sermões nas mesquitas, mas também em missões prosélitas intra-comunidades, ao jeito das Testemunhas de Jeová. Ou seja, esta é a teoria!

Na prática, o novo-riquismo árabe alavancado no petróleo e no gás, colocou-os perante o fascínio do dinheiro que tudo pode e o dilema em optar entre a tradição e a modernidade, o cosmopolitismo que dilui práticas de gerações.

Por isso mesmo estes milionários dividem a vida entre a “santa-terrinha” e as grandes capitais europeias.

A normalidade de uma Georgina, a partir de agora poder ser vista a ir às compras com uns brincos de diamantes, é o que a mulher saudita quer, porque é o que ela também quer fazer. Dar uma continuidade de normalidade na sua vida, lá dentro, como tem cá fora! Fosse loira, seria mais uma modelo e ninguém a levaria a sério.

Georgina, a influenciadora, poderá ter aqui uma oportunidade de ajudar a revolucionar mentalidades. Uma morena sem hijab, dá muito mais nas vistas por Riad que uma loira, convenhamos!

E Georgina tem “pele de saudita” e contribuirá, talvez sem o perceber, para essa necessária banalização de cabelos familiares ao vento.

Tudo isto em conjunto com as rotinas e atitude de mulher independente que entra no carro sozinha e vai buscar o namorado ao treino, para o levar a almoçar, sem ter que “dar pataco” seja a quem for, vai provocar nas sauditas um natural “olhem para ali e percebam que não há pecado na felicidade”!

E lá, como cá, as mudanças têm sempre que vir de fora. O estrangeiro é sempre melhor “e estes dois até são parecidos connosco, só podem ser ainda melhores”, dirão!

O facto do “casal perfeito”, que vive em concubinato, poder usufruir de uma excepção para tal, vem tirar de cima dos casais sauditas que vivem fora-da-lei, por não serem casados, o peso do sermão do Imam que diz que vivem como os cães, sem papel passado.

Outra regra social que mais rapidamente agora será despenalizada. Ou seja, o Estado está a dar sinais que quer deixar de ir para a cama com os seus cidadãos.

Rapidamente também a homossexualidade deixará de ser considerada crime. Um longo caminho a percorrer, mas cujo impacto da passagem destes dois galácticos pelo detentor dos lugares sagrados do Islão, poderá muito bem encurtar.

O erro, a tentação, estará na indumentária. Georgina terá aqui também um verdadeiro teste à criatividade. Idealmente terá que ser sofisticada, sem cair na banalidade.

Credível, bem-visto e certamente até desejado pela indústria da moda local é terem como imagem de promoção uma Georgina que, uma vez mais, poderá contribuir para uma nova imagem da moda e da mulher saudita.

Sofisticada, já com carta de condução, sem tutor masculino atrás, independente, produtiva e carregada de diamantes, o que também espelha os altos níveis de segurança do reino, um dado ao jeito causa-efeito que não deixará de ser maximizado pelas autoridades locais.

Compreendo bem o alcance da contratação deste binómio de perfis de sucesso, com toque de Midas, pela Casa de Saud. E Ronaldo, pode até nem ser o actor principal nesta fita!

Politólogo/arabista www.maghreb-machrek.pt
Escreve de acordo com a antiga ortografia

Diário de Notícias
Raul M. Braga Pires
13 Janeiro 2023 — 01:18



 

 16 total views,  1 views today

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *