104: A civilização como a conhecemos “vai acabar brevemente”

  • 3 semanas 
  • 2Minutes
  • 428Words
  • 15Views

 

CIVILIZAÇÃO // EXTINÇÃO // TERRA

published in: 3 semanas 

Cientistas defendem que para travar o fim da civilização seriam necessárias, pelo menos, mais cinco terras.

Yuri_B / Pixabay

A Terra pode estar a passar, neste preciso momento, por uma extinção em massa — em níveis que já não víamos desde o desaparecimento dos dinossauros.

Esta é a teoria defendida Tony Barnosky, biólogo da Universidade de Standford, que se baseia num trabalho que teve por base registos de fósseis e mudanças no ecossistema.

O processo, aponta, está a acontecer a uma taxa 100 vezes superior à observada na história da vida na Terra. “Há cinco vezes na história da Terra em que tivemos extinções em massa”, descreveu ao programa 60 Minutos.

“E por extinções em massa, quero dizer pelo menos 75%, três quartos das espécies conhecidas desaparecendo da face da Terra.”

Como tal, o especialista entende que “estamos a testemunhar o que muitas pessoas chamam de sexta extinção em massa, onde a mesma coisa pode acontecer sob a nossa supervisão.

Esta visão é partilhada pela sua esposa, Liz Hadly, bióloga e directora do corpo docente da Jasper Ridge Research Preserve de Standford.

“É um estado horrível do planeta quando espécies comuns, as espécies omnipresentes, com as quais estamos familiarizados estão em declínio”, disse a bióloga.

Também em declarações ao 60 minutos, a especialista explicou que existem lugares, como é o caso da Califórnia, onde pode ser monitorizada uma grande perda de água, o que resulta num dominó de espécies desaparecidas.

Perspectivando o futuro, os dois especialistas defendem que não é a sobrevivência da Terra que está em causa — o planeta ficará bem, dizem — é o nosso modo de vida, como o conhecemos, que poderá estar em risco.

A região que mais está ameaçada é a América Latina, onde estudos recentes mostram uma queda da vida selvagem em 94% desde 1970. Ainda assim, também é aqui que se encontra um “motivo de esperança“.

Para além de traçarem este prognóstico, os cientistas também apresentam uma solução, alicerçada numa proposta de Gerardo Ceballos, ecologista e um dos maiores especialistas em matérias de de extinção.

“Ele disse-nos que a única solução é salvar um terço da Terra que permanece selvagem “, explicou Barnosky. Para comprovar este ponto, Ceballos está a dinamizar uma experiência numa área correspondente a 4900 quilómetros quadrados.

ZAP //
14 Janeiro, 2023



 

 23 total views,  1 views today

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *