203: Altar do Papa vai custar 4,2 milhões à Câmara de Lisboa em ajuste directo

  • 4 dias 
  • 3Minutes
  • 448Words
  • 10Views

 

– FABULÁSTICO!!! FANTÁSTICO!!! 4,2 MILHÕES DE €UROS PARA UM ALTAR-PALCO DESTINADO AO PAPA! Entretanto onde para a ajuda aos sem abrigo, aos pedintes de Lisboa? FDS!!! Segundo rezam os livros, cristo andava de sandálias. Os Papas ornamentam-se com ouro e vestes luxuosas! Que raio de religião é esta? E para os receber, gastam-se mais de QUATRO MILHÕES DE €UROS apenas para um palco? É por estas e muitas outras que sou ATEU!

🇵🇹 ALTAR DO PAPA // JMJ // LISBOA // C.M.L.

Orçamento de Estado para 2023 abre uma excepção à Jornada Mundial da Juventude, o que permitiu que a obra fosse adjudicada por ajuste directo, apesar do elevado valor.

A obra de construção do altar-palco onde o Papa Francisco vai celebrar a missa da Jornada Mundial da Juventude 2023, em Lisboa, vai custar 4,2 milhões de euros à Câmara de Lisboa, por ajuste directo.

De acordo com o contrato publicado no Portal Base, a obra foi adjudicada pela SRU – Sociedade de Reabilitação Urbana à construtora Mota-Engil por 4.240.000 euros, sem IVA. A construtora tem agora 150 dias para executar o projecto após a consignação da obra.

O Orçamento de Estado para 2023 abre uma excepção em relação à Jornada Mundial da Juventude, o que permitiu que a obra fosse adjudicada por ajuste directo, apesar do elevado valor.

“Para a celebração de contratos que tenham por objecto a locação ou aquisição de bens móveis, a aquisição de serviços ou a realização de empreitadas de obras públicas e que se destinem à organização, programação, concepção e implementação da Jornada Mundial da Juventude 2023, incluindo as intervenções necessárias nos locais dos eventos e a eventual relocalização de instalações existentes, as entidades adjudicantes podem adoptar procedimentos de ajuste directo quando o valor do contrato for inferior aos limiares referidos nos n.os 3 ou 4 do artigo 474.º do CCP, consoante o caso”, pode ler-se no artigo. O limiar em causa é de 5,35 milhões de euros.

A Câmara Municipal de Lisboa enviou ao Observador um esclarecimento no qual justifica o custo do palco salientando que “a complexidade desta obra não é comparável a nada que tenha sido feito em Portugal”.

Segundo a autarquia “a obra do palco ficará para a cidade e será de fruição dos Lisboetas após a JMJ. A cobertura do palco manter-se-á e será rebaixada para poder ser usada em múltiplos eventos que passem a ter por palco o Parque Tejo, que servirá para acolher os maiores eventos do mundo ao ar livre”.

Diário de Notícias
DN
24 Janeiro 2023 — 15:25



 

published in: 4 dias 

 

 10 total views,  1 views today

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *