“Decisão extremamente perigosa” da Alemanha leva a guerra a “um novo nível”, diz embaixador russo

  • 3 dias 
  • 4Minutes
  • 714Words
  • 9Views

 

– Um russonazi  a acusar quem está a ajudar a invasão russonazi à Ucrânia! Já não admira a desfaçatez destes terroristas – que se aliam a outros terroristas – para levarem a cabo as suas pretensiosas conquistas em países soberanos! O ADN da guerra está no sangue destes nazis que já não disfarçam a ridícula “justificação” de desnazificarem e desmilitarizarem a Ucrânia, um país soberano, quando o regime deles é puro nazismo, apoiados por uma horda selvagem de mercenários assassinos wagnerianos! As declarações destes gajos demonstram que emborcam Stolichnaya a mais…

🇺🇦 SLAVA UKRAYINI 🇺🇦

RUSSONAZIS // PROPAGANDA // TERRORISMO

Para o embaixador russo em Berlim, “a Alemanha, tal como os seus aliados mais próximos, não está interessada numa solução diplomática para a crise na Ucrânia”.

Embaixador da Rússia em Berlim, Sergey Nechaev
© Tobias SCHWARZ / AFP

A decisão do governo alemão em autorizar, esta quarta-feira, o envio de tanques Leopard 2 à Ucrânia mereceu de imediato críticas do embaixador da Rússia em Berlim.

Sergey Nechaev acusou a Alemanha de ter levado a guerra para um novo nível de confrontação e de ter renunciado às suas responsabilidades na Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

“A decisão de Berlim significa a renúncia final da República Federal da Alemanha em reconhecer a responsabilidade histórica perante o nosso povo pelos terríveis crimes do nazismo durante a Grande Guerra Patriótica que não estão prescritos”, disse o diplomata num comunicado.

Nechaev considerou que Berlim está a pôr de lado o “difícil caminho da reconciliação entre russos e alemães no período do pós-guerra”.

Segundo o embaixador russo, esta é uma “decisão extremamente perigosa” que leva a guerra a “um novo nível de confrontação e contradiz as declarações dos políticos alemães” sobre a intenção de não se envolver no conflito.

“Estamos novamente convencidos de que a Alemanha, tal como os seus aliados mais próximos, não está interessada numa solução diplomática para a crise na Ucrânia, está preparada para a escalar constantemente e para encher ilimitadamente o regime de Kiev com armas cada vez mais mortíferas”, acrescentou, citado pela EFE.

O Kremlin (presidência russa) já tinha advertido, na terça-feira, que o envio de tanques Leopard 2 para a Ucrânia teria um impacto nas relações entre a Rússia e a Alemanha.

“Estas relações já estão num ponto muito baixo e não existe um diálogo substantivo nem com a Alemanha nem com outros países da NATO”, disse o porta-voz presidencial russo, Dmitry Peskov, na terça-feira.

Peskov acrescentou que o envio de tanques Leopard 2 para a Ucrânia não augurava nada de bom para as relações entre os dois países e deixaria “inevitavelmente uma marca” em laços futuros.

Alemanha vai enviar 14 tanques Leopard 2 para a Ucrânia

A Alemanha autorizou o envio de carros de combate ‘Leopard 2’, de fabrico alemão, para os militares ucranianos combaterem a invasão russa e aprovou os pedidos de outros países no mesmo sentido, segundo o porta-voz do executivo de Berlim.

“Esta decisão segue a nossa linha conhecida de apoiar a Ucrânia da melhor maneira possível. Actuamos internacionalmente de maneira altamente coordenada”, declarou o chanceler alemão, Olaf Scholz, citado por Hebestreit.

Num comunicado, o Governo alemão declarou que, inicialmente, fornecerá à Ucrânia 14 dos seus tanques ‘Leopard 2 A6’. A Alemanha e respectivos aliados deverão fornecer ao exército ucraniano um total de 88 tanques.

A Rússia invadiu a Ucrânia em 24 de Fevereiro do ano passado, desencadeando uma guerra que prossegue sem perspectiva de um acordo que permita suspender os combates.

Sem se envolverem directamente nos combates, os aliados ocidentais de Kiev têm fornecido armamento às forças ucranianas.

Além da destruição de infra-estruturas na Ucrânia, a guerra tem provocado baixas dos dois lados ainda por contabilizar, mas que diversas fontes, incluindo a ONU, admitem ser elevadas.

Diário de Notícias
DN/Lusa
25 Janeiro 2023 — 13:34



 

published in: 3 dias 

 

 9 total views,  1 views today

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *