254: Grupo de especialistas da ONU pede à Rússia para travar escalada de repressão

 

– Não se pode dialogar com Bestas, estas naturais do Leste, porque as Bestas não possuem sentimentos, inteligência, humanismo. A finalidade destas Bestas russonazis 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺, a competirem em igualdade de circunstâncias com as Bestas nazis alemãs de Adolf Hitler, são destruir, assassinar, ocupar indiscriminadamente, sem olhar a mais nada que não seja a sua ambição desmedida e psicopata de terroristas assassinos imperialistas nazis 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺. Esta horda terrorista e assassina russonazi 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺, desconhece completamente qualquer forma de diálogo para o acto que programou e executou, ao invadir um país soberano, ao arrepio do Direito Internacional e da Carta das Nações Unidas, do qual faz parte com direito a veto! E depois existem os fantoches amestrados que transmitem a voz do fantoche-mor, na expectativa de culparem os outros, o tal Ocidente que está em guerra com a rússianazi 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺, quando estão a ver o filme ao contrário. Para estas Bestas do Leste, não existe Direito Internacional, Carta das Nações Unidas e as únicas leis que esta horda conhece são as que o putinofantoche-mor aplica ao arrepio de qualquer acto de respeito pela Liberdade de Expressão e pelo Direito à Oposição, à Democracia. Gostava de entender porque este Estado terrorista e assassino continua a fazer parte da ONU e do Conselho de Segurança. Simples falta de 🍅🍅 para serem EXPULSOS!

🇺🇳 ONU // RUSSONAZIS 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺 // ESCALADA DE REPRESSÃO

Especialistas dizem que “escalada de repressão da sociedade civil” ​​​​​​​russa põe em risco as liberdades de expressão, de reunião pacífica e associação naquele país.

Um grupo de especialistas das Nações Unidas pediu esta sexta-feira às autoridades da Rússia para travarem a “escalada de repressão da sociedade civil” ​​​​​​​russa, que põe em risco as liberdades de expressão, de reunião pacífica e associação naquele país.

Os especialistas da ONU exortaram também a Rússia a acabar com as perseguições judiciais e o clima de intimidação contra organizações da sociedade civil, defensores de direitos humanos e comunicação social.

Num comunicado divulgado esta sexta-feira, o grupo de relatores pediu ainda ao Governo russo que deixe de se referir a esses grupos como “agentes estrangeiros”, termo que tem uma conotação negativa e remete à era soviética, sugerindo espionagem.

A Presidência russa (Kremlin) ordenou esta semana o encerramento de uma das principais e mais antigas organizações de direitos humanos da Rússia, o Moscow Helsinki Group.

Esta organização não-governamental (ONG) foi fundada em maio de 1976 para monitorizar o cumprimento soviético dos Acordos de Helsínquia e relatar ao Ocidente as violações dos direitos humanos na União Soviética (URSS).

O julgamento contra a conhecida ONG começou na quarta-feira e a leitura da sentença realizou-se apenas seis horas depois do início da audiência.

Nos últimos meses, outras associações como a Memorial International, vencedora do Prémio Nobel da Paz em 2022, foram dissolvidas de forma semelhante.

Na opinião dos especialistas das Nações Unidas, “a decisão de ordenar a dissolução do Moscow Helsinki Group mostra que as autoridades russas continuam a violar as obrigações impostas pelo direito internacional” e a “fomentar um clima de medo” no país.

Entre os signatários da declaração apresentada esta sexta-feira contam-se o relator para os direitos à liberdade de associação e de reunião, Clément Nyaletsossi, a relatora para os direitos à liberdade de opinião e expressão, Irene Khan, e a relatora para a situação dos defensores dos direitos humanos, Mary Lawlor.

Diário de Notícias
DN/Lusa
27 Janeiro 2023 — 17:21



 

published in: 1 semana 

 

 12 total views

218: Angola insiste em cessar-fogo na Ucrânia. MNE (russo) culpa Kiev pelo conflito

🇷🇺 A RÚSSIA ☠️卐☠️ É UM ESTADO PÁRIA, TERRORISTA, ASSASSINO, LADRÃO, GENOCIDA, VIOLADOR 🇷🇺

– Esta Besta do Leste, um anti-semita, “Lavrov, que está em Luanda, lembrou a solidariedade de Moscovo a Angola e culpou a Ucrânia pelo conflito”. A “solidariedade” deste russonazi 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺 foi a de armar e municiar os terroristas na luta armada contra Portugal, fazendo o mesmo a Moçambique e Guiné-Bissau! Culpar a Ucrânia pelo “conflito”, além de ridículo, demonstra o espírito animalesco desta horda de assassinos que invadiram a Ucrânia, um país soberano, destruindo tudo o que lhes aparece pela frente e assassinando civis de todas as idades, sem qualquer remorso! FDS!!!

🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺  RUSSONAZIS // LAVROV // 🇦🇴 ANGOLA

Serguei Lavrov está em Luanda, onde comparou conflito actual na Ucrânia com guerra em Angola.

O ministro das Relações Exteriores angolano pediu esta quarta-feira ao seu homólogo russo um cessar-fogo com a Ucrânia, enquanto Lavrov, que está em Luanda, lembrou a solidariedade de Moscovo a Angola e culpou a Ucrânia pelo conflito.

Téte Antonio e Serguei Lavrov encabeçam as delegações dos dois países, que mantêm esta quarta-feira o primeiro encontro bilateral enquadrado na visita do chefe da diplomacia russo ao país, inserida numa série de contactos com parceiros africanos.

Num discurso que antecedeu o encontro entre as duas delegações Téte António reafirmou o compromisso no fortalecimento e aperfeiçoamento nos laços de amizade e cooperação que unem os dois países, mas falou da ameaça que o conflito russo-ucraniano representa para a paz mundial e insistiu na procura de uma solução através do diálogo

“Teremos ainda oportunidade de continuar a abordar essa questão, tendo em conta a sua experiência estaremos muito atento a escutar a sua análise sobre este diferendo”, disse Téte António a Serguei Lavrov, encorajando as autoridades russas a “dar uma chance para o resgate do estatuto e do prestígio do país, estabelecendo, como defendeu o Presidente angolano, um cessar-fogo definitivo que possa restabelecer um clima de paz mundial”.

A Rússia foi um dos principais apoiantes do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA, no poder) na guerra civil angolana.

O ministro angolano afirmou que a visita de Lavrov “é mais uma oportunidade para o reforço das relações entre os dois países” e aprofundar a cooperação nas áreas existente e identificar novas áreas como agricultura, agro-indústria e indústria transformadora entre outros, lembrando que a prioridade do executivo é a diversificação da economia.

“Os dois países estão conectados por relações tradicionalmente amigáveis”, o que constitui também uma garantia para um diálogo franco, de amigos tradicionais sobre as nossas relações e outras questões de interesse, sublinhou.

Enquanto discursava o ministro russo, os jornalistas que acompanhavam o encontro foram informados que teriam de abandonar a sala, uma situação que fez com que Lavrov questionasse a retirada da imprensa.

Segundo funcionários do Mirex, Téte Antonio terá indicado que os jornalistas se poderiam manter na sala, mas o ‘staff’ da embaixada russa contrariou a orientação, pelo que todos os profissionais de comunicação acabaram mesmo por abandonar a sala onde decorre ainda o encontro bilateral, que deverá ser seguido por uma conferência de imprensa.

Lavrov compara conflito actual com guerra em Angola

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov fez uma comparação entre o conflito na Ucrânia e a guerra em Angola.

Em causa, explicou o ministro russo no encontro com o seu homólogo angolano, está o facto de Kiev estar a prejudicar os russófonos do país, levando Moscovo a ter de intervir para proteger essa parte da população.

“O mesmo conflito baseado na vontade da população de defender os seus direitos deflagrou na Ucrânia depois do golpe inconstitucional, depois do golpe de Estado militar e sangrento chegaram ao poder os nazis, neonazis declarados inclusive que apelavam a matar os russos, os judeus, os polacos”, disse Lavrov, numa referência à deposição, em 2014, do Presidente eleito, Viktor Yanukovytch.

Na ocasião, a Rússia ocupou a península da Crimeia e o leste da Ucrânia, um conflito que continuou em Fevereiro 2022 com uma invasão russa do resto do país, classificada por Moscovo como uma operação especial.

Lavrov disse que Rússia tentou por vários meios acabar com esse conflito, mas apesar disso o regime de Kiev optou pela deflagração deste conflito, proibindo a língua e cultura russas e convidando os que associam a ela a abandonar o país.

“O Ocidente não reagiu as essas declarações racistas e colonialistas. Mais ainda, os EUA e seus aliados fizeram tudo para cultivar esse ódio e transformar a Ucrânia numa praça de armas tendo objectivo de colocar lá bases militares e criar ameaça a toda a região”, disse Lavrov.

O “objectivo declarado” dessa estratégia era “envolver e atrair a Ucrânia para a NATO”, afirmou, recordando o apoio da então União Soviética ao Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA, no poder) na sua guerra contra Portugal e depois na guerra civil, contra a União para a Independência Total de Angola (UNITA), apoiada pelos Estados Unidos e pelo regime do ‘apartheid’ da África do Sul.

“O povo angolano sabe bem qual é o preço da independência, qual o preço do livre exercício dos direitos tradicionais dos direitos de cada angolano e, da mesma maneira, Angola participa (agora) activamente no esforço do estabelecimento da paz noutros países para segurança, paz e prosperidade nesses países”, vincou, fazendo uma comparação entre os dois conflitos.

As relações entre Moscovo e o partido no poder em Angola têm as relações que “remontam a longos anos atrás, ao período da guerra da libertação”, realçando o objectivo de chegar a uma parceria estratégica entre os dois países.

Lavrov elogiou também a posição “equilibrada” de Angola nas Nações Unidas sobre decisões, “que dividem a comunidade internacional, nomeadamente as resoluções relativas ao conflito na Ucrânia”.

Diário de Notícias
Lusa/DN
25 Janeiro 2023 — 10:23



 

published in: 1 semana 

 

 11 total views

121: Aumenta para 35 mortos o balanço do ataque russo a Dnipro

 

RUSSONAZIS 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺 // DNIPRO // ASSASSÍNIOS // DESTRUIÇÃO // 🇺🇦 UCRÂNIA

🇺🇦 SLAVA UKRAYINI 🇺🇦

published in: 3 semanas 

Duas crianças estão entre as vítimas mortais do ataque das forças russas a um edifício em Dnipro. Autoridades indicam que estão por localizar 35 pessoas.

Ataque das forças russas atingiu um edifício de nove andares em Dnipro
Foto EPA/OLEG PETRASYUK

(Imagens acima: Foto EPA/OLEG PETRASYUK)

O novo balanço de vítimas do ataque russo que atingiu no sábado um edifício de nove andares em Dnipro, no leste da Ucrânia, refere a morte de 35 pessoas, incluindo duas crianças, disse esta segunda-feira o governo regional do leste da Ucrânia.

“Trinta e nove pessoas foram salvas, 75 ficaram feridas”, acrescentou Valentyn Reznichenko, governador regional de Dnipropetrovsk.

O mesmo responsável acrescentou que faltam ainda localizar outras 35 pessoas que, presumivelmente, se encontravam no prédio na altura em que foi atingido.

O primeiro balanço indicava a morte de 25 civis, entre os quais uma criança.

No domingo, o chefe de Estado da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, afirmou que foram destruídos 72 apartamentos e danificados mais de 230, na sequência do mesmo ataque, realizado a partir da região russa de Kursk, pelas forças de Moscovo.

Today I have been receiving reports from Dnipro all day. The debris is being cleared there.
All necessary services are involved. Thanks to everyone who is carrying out the rescue operation!
As of now, the fate of more than 30 people who could have been in the house at the time of the terrorists’ missile hit remains unknown.
Dozens of people were rescued from the rubble, including six children. We are fighting for every person! The rescue operation will last as long as there is even the slightest chance to save lives.
Since the attack, Ukraine has heard words of condolences and support from many leaders, public figures, journalists and ordinary people from around the world. I thank everyone who did not remain indifferent! It is very important that normal people unite in response to terror.
Glory to Ukraine!

Diário de Notícias
DN/Lusa
16 Janeiro 2023 — 08:35

 16 total views

117: Ocidente vai entregar mais armas pesadas num futuro próximo à Ucrânia

 

– Se logo no início da invasão terrorista dos russonazis 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺 do putinofantoche tivessem entregue armamento pesado aos ucranianos, a actual situação já não se verificaria! Agora e num “futuro próximo”, quando a Ucrânia já estiver completamente arrasada, sem mais nada para destruir pelos russonazis 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺 terroristas psicopatas putinofantoches, o “Ocidente” irá então entregar mais armas pesadas…!!! Cinismo e hipocrisia q.b. !

– “… Os Estados ocidentais têm-se mostrado reticentes em entregar armamento mais pesado à Ucrânia, alegando terem receio de serem arrastados para a guerra ou de provocar a Rússia.

Provocar a rússia? um estado terrorista que não respeita a Carta das Nações Unidas, o Direito Internacional, a soberania de um país independente, invadindo, destruindo infra-estruturas básicas de sobrevivência, residências civis, hospitais, maternidades, escolas, creches, assassinando e torturando milhares de civis desde crianças a idosos? Afinal quem é o provocado e o provocador nesta estória?

© Sameer Al-DOUMY / AFP

🇷🇺 A RÚSSIA ☠️卐☠️ É UM ESTADO PÁRIA, TERRORISTA, ASSASSINO, LADRÃO, GENOCIDA, VIOLADOR 🇷🇺

🇺🇦 A UCRÂNIA É DOS UCRANIANOS 🇺🇦,
NÃO É DOS RUSSONAZIS
🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺

published in: 3 semanas 

“As recentes promessas de armamento pesado são significativas – e espero que mais venham no futuro próximo”, disse Jens Stoltenberg.

Jens Stoltenberg.
© EPA/OLIVIER HOSLET

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, afirmou este domingo que Kiev vai receber mais armas pesadas dos seus aliados ocidentais “num futuro próximo”, um pedido que tem sido frequentemente repetido pelas autoridades da Ucrânia.

“As recentes promessas de armamento pesado são significativas – e espero que mais venham no futuro próximo”, disse Jens Stoltenberg, citado pelo jornal diário alemão Handelsblatt.

A garantia do secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO, na sigla em inglês) foi dada poucos dias antes de uma nova reunião, agendada para 20 de Janeiro, dos países ocidentais que fornecem ajuda à Ucrânia, que irá decorrer na base norte-americana de Ramstein, na Alemanha.

“Estamos numa fase decisiva da guerra”, acrescentou Stoltenberg, admitindo que “é importante fornecer à Ucrânia as armas de que precisa para vencer”.

Os Estados ocidentais têm-se mostrado reticentes em entregar armamento mais pesado à Ucrânia, alegando terem receio de serem arrastados para a guerra ou de provocar a Rússia.

Ainda assim, a gama de armas que têm fornecido à Ucrânia alargou-se recentemente.

No início do mês, França, Alemanha e Estados Unidos prometeram enviar veículos blindados com tanques de infantaria ou de reconhecimento – 40 Marders alemães, 50 Bradleys norte-americanos e AMX-10 RC franceses.

O Reino Unido anunciou no sábado que vai entregar tanques Challenger 2 à Ucrânia, tornando-se assim no primeiro país a fornecer tanques pesados de construção ocidental a Kiev.

Moscovo denunciou que a decisão não vai mudar a situação no terreno, assegurando que a única consequência será a escalada do conflito.

Segundo o secretário-geral da NATO, o Presidente russo, Vladimir Putin, cometeu um erro ao atacar a Ucrânia, “sobrestimando as suas próprias forças armadas”.

Consegue-se ver “os erros, a falta de moral, os problemas de comando, o equipamento deficiente” que tornam a ofensiva russa num erro, disse, reconhecendo, no entanto, que os russos “demonstraram que estão prontos para suportar pesadas perdas para atingir o seu objectivo”.

A ofensiva militar lançada em 24 de Fevereiro de 2022 é justificada por Putin com a necessidade de “desnazificar” e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

Diário de Notícias
DN/Lusa
15 Janeiro 2023 — 17:16

 




 

 15 total views