652: Marcelo vs. Abrunhosa. “Um presidente fala assim com uma ministra? E se fosse um homem?”

“… “Mas onde é que chegámos? É assim que um presidente da República se dirige, em público, a uma ministra da República?“, questiona.”. “Desde quando o mandato constitucional virou uma função confessional para que o chefe de Estado tenha que perdoar ou deixar de perdoar o que quer que seja, a quem quer que seja?”

MRS perdeu o tino e tem falta de chá, numa boçalidade que começa a chatear quem tem de gramar este tipo de situações. Parece que a época das selfies terminou, dando lugar a este tipo de linguagem deselegante, grosseira, tosca, nada compatível com as funções de Estado do presidente da República Portuguesa! Acalme-se MRS, um cházinho de tília poderá fazer-lhe bem…

INSTITUCIONAL/PRESIDENTE DA REPÚBLICA/BOÇALIDADES

Declaração invulgar de um presidente da República, numa espécie de ameaça pública em frente a uma ministra.

Fernando Veludo / Lusa
Marcelo Rebelo de Sousa e Ana Abrunhosa

Depois, o foco no sexo de Ana Abrunhosa: “Ocorreu-me que, se na cadeira onde se sentava Ana Abrunhosa estivesse um ministro – um homem tais palavras nunca teriam sido ditas“.

Pedro recorda Pedro Marques, antigo ministro do Planeamento e das Infra-estruturas, que assegurou que o programa Ferrovia 2020 estava a cumprir os seus planos, que iria estar tudo pronto a tempo (não esteve, nem está) e que “anunciou obras que não existiam”.

Ao longo desses anos, e já com Marcelo em Belém, “onde andou” o presidente da República?

Se descobrirem algum puxão de orelhas dado em público a Pedro Marques, enviem-me. Procurei e não encontrei nada que se assemelhe à humilhação feita a Ana Abrunhosa”, pede Pedro Miguel Santos, na newsletter do Fumaça.

Nuno Teixeira da Silva, ZAP //
10 Novembro, 2022