Autoridades ucranianas vasculham mosteiros à procura de “actividades subversivas”

🇺🇦 SLAVA UKRAYINI 🇺🇦
🇺🇦 UKRAYINA NE ROSIYSʹKA 🇺🇦

🇺🇦 UKRAINA – NE ROSSIYA 🇺🇦
🇺🇦 HEROYAM SLAVA 🇺🇦

🇬🇧 DROP ALL RUSONAZI ORCS FROM UKRAINE
🇺🇦 VYHNITʹ Z UKRAYINY VSIKH RUSONAZIVSʹKYKH ORKOV
🇷🇺 VYBROSITE VSEKH ORKOV RUSONAZI IZ UKRAINY

IGREJA ORTODOXA/UCRÂNIA/BUSCAS/ACTIVIDADES SUBVERSIVAS

As buscas visaram instalações ligadas à Igreja Ortodoxa Ucraniana do Patriarcado de Moscovo, incluindo o Mosteiro das Cavernas de Kiev.

© EPA/SERGEI ILNITSKY

Os serviços de segurança da Ucrânia (SBU) vasculharam vários mosteiros em diferentes cidades, incluindo Kiev, para encontrar alegadas “actividades subversivas” a cargo dos interesses russos.

As buscas visaram instalações ligadas à Igreja Ortodoxa Ucraniana do Patriarcado de Moscovo, incluindo o Mosteiro das Cavernas de Kiev, declarado Património da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

As autoridades também alargaram as suas operações à região de Rivne, no oeste da Ucrânia, com o objectivo de localizar possíveis stocks de armas ou esconderijos de espiões.

A Igreja Ortodoxa tentou nos últimos meses distanciar-se de possíveis simpatias por Moscovo, afastando-se assim da ofensiva militar iniciada em Fevereiro.

Mas, no entanto, a SBU arrancou uma investigação após uma música cantada num culto ter defendido o despertar da “Mãe Rússia”.

O porta-voz do Kremlin, Dimitri Peskov, acusou Kiev de estar a fazer perseguição religiosa.

Na sua opinião, as buscas em mosteiros é “mais um elo na cadeia de ações militares contra a ortodoxia russa”, de acordo com órgãos oficiais.

A ofensiva militar lançada a 24 de Fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou já a fuga de mais de 13 milhões de pessoas – mais de seis milhões de deslocados internos e mais de 7,8 milhões para países europeus -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A invasão russa — justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de “desnazificar” e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia – foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

A ONU apresentou como confirmados desde o início da guerra 6.595 civis mortos e 10.189 feridos, sublinhando que estes números estão muito aquém dos reais.

Diário de Notícias
DN/Lusa
22 Novembro 2022 — 22:28



 

856: Autoridades ucranianas fazem buscas em mosteiro da Igreja Ortodoxa em Kiev

UCRÂNIA/KIEV/IGREJA ORTODOXA

Buscas tiveram como objectivo evitar que o mosteiro fosse utilizado como um “centro do mundo russo” ou um abrigo para “grupos de sabotagem”. Kremlin fala no capítulo mais recente da “guerra” de Kiev contra a igreja ortodoxa russa.

Histórico mosteiro ortodoxo em Kiev foi alvo de buscas
Foto EPA/UKRAINIAN SECURITY SERVICE

Os serviços secretos da Ucrânia (SBU) anunciaram esta terça-feira que foram realizadas buscas num histórico mosteiro ortodoxo em Kiev devido à suspeita de ligações com agentes russos. O Kremlin já reagiu ao considerar as buscas como sendo parte do capítulo mais recente da “guerra” de Kiev contra a igreja ortodoxa russa.

Localizado ao sul do centro da cidade, o Pechersk Lavra de Kiev, do século XI, é um Património Mundial da UNESCO e é a sede de um ramo da Igreja Ortodoxa da Ucrânia que estava anteriormente sob a jurisdição de Moscovo.

Foto EPA/UKRAINIAN SECURITY SERVICE

Cortou relações com a Rússia logo após a invasão da Ucrânia pela Rússia. Os serviços secretos ucranianos afirmaram, em comunicado, que foram realizadas “medidas de contra-espionagem” que fazem parte do trabalho para “combater as actividades subversivas dos serviços de segurança russos na Ucrânia”.

Foto EPA/UKRAINIAN SECURITY SERVICE

As buscas tiveram como objectivo evitar que o mosteiro fosse utilizado como um “centro do ‘mundo russo'”, um abrigo para “grupos de sabotagem”, de inteligência e para cidadãos estrangeiros e um armazém de armas, acrescentou o comunicado.

No início da terça-feira, um carro da polícia estava estacionado em frente ao mosteiro, com as cúpulas douradas brilhantes cobertas de neve, relatou um jornalista da AFP.

Policiais armados foram vistos a realizar verificações de identidade e revistar as malas dos fiéis antes de os deixar entrar no Pechersk Lavra de Kiev.

“A Ucrânia está em guerra há muito tempo com a Igreja Ortodoxa Russa”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, aos jornalistas. “Podemos ver isto como mais um elo na cadeia destas acções militares contra a ortodoxia russa.”

Um porta-voz da Igreja Ortodoxa Russa classificou as buscas como sendo um “ato de intimidação” contra os fiéis ucranianos. “Oramos pelos nossos companheiros crentes… que estão a tornar-se vítimas da ilegalidade e pedimos a todas as pessoas solidárias que façam o possível para impedir esta perseguição”, disse Vladimir Legoyda nas redes sociais.

A SBU avançou ainda que “as medidas de segurança” foram realizadas na terça-feira em dois outros mosteiros e na diocese na região de Rivne, no noroeste da Ucrânia.

Diário de Notícias
DN/AFP
22 Novembro 2022 — 13:38