888: Três centrais nucleares religadas à rede eléctrica ucraniana

🇷🇺 SMERTʹ RUSONAZAM 🇷🇺

🇺🇦 SLAVA UKRAYINI 🇺🇦
🇺🇦 UKRAYINA NE ROSIYSʹKA 🇺🇦

🇺🇦 UKRAINA – NE ROSSIYA 🇺🇦
🇺🇦 HEROYAM SLAVA 🇺🇦

🇬🇧 DROP ALL RUSONAZI ORCS ☠️卐☠️ FROM UKRAINE
🇺🇦 VYHNITʹ Z UKRAYINY VSIKH RUSONAZIVSʹKYKH ORKOV ☠️卐☠️
🇷🇺 VYBROSITE VSEKH ORKOV RUSONAZI ☠️卐☠️ IZ UKRAINY

UCRÂNIA/ORCS RUSSONAZIS ☠️卐☠️ /ENERGIA

A Rússia disparou mais de 70 mísseis de cruzeiro contra a Ucrânia na quarta-feira. Segundo o Ministério da Energia, estes ataques deixaram sem electricidade “a grande maioria dos consumidores” do país.

A central nuclear de Zaporíjia, em Enerhodar.
© STRINGER/AFP

As três centrais nucleares ucranianas sob controlo de Kiev foram esta quinta-feira religadas à rede eléctrica, depois de a conexão ter sido interrompida na quarta-feira, após ataques massivos da Rússia, anunciou o Ministério da Energia ucraniano.

“Após os bombardeamentos massivos de quarta-feira, os trabalhadores do sector da energia conseguiram (…) religar três centrais nucleares à rede eléctrica durante a manhã” de hoje, declarou o ministério na rede social Telegram, acrescentando que estas instalações devem começar a fornecer electricidade “até a noite de hoje”.

As centrais nucleares em causa são Khmelnytsky e Rivne (oeste) e a de Pivdennooukraïnsk (sul), que foram desligadas pelo sistema de proteção automática após os ataques russos que atingiram várias infra-estruturas eléctricas ucranianas.

“Se não houver novos ataques, conseguiremos reduzir consideravelmente a falta [de electricidade] no sistema energético até ao final do dia”, referiu o ministro da Energia ucraniano, Guerman Galouchtchenko, citado no comunicado do seu ministério.

Em todo o país, “a situação em geral é difícil”, mas em algumas regiões “o fornecimento de electricidade já aumentou”, garantiu Galushchenko, sublinhando ainda que “as infra-estruturas críticas em todo o país” podem ser religadas à rede eléctrica.

O autarca de Kiev, Vitaly Klitschko, anunciou no Telegram que cerca de “70 por cento da capital permaneceu sem electricidade na manhã de hoje”.

O abastecimento de água, interrompido na quarta-feira em quase toda a cidade após os cortes de energia, foi restabelecido nos bairros situados na margem esquerda do rio Dnieper, precisou o autarca. Klitschko espera que o resto de Kiev seja abastecida com água durante o dia desta quinta-feira..

A Rússia disparou mais de 70 mísseis de cruzeiro contra a Ucrânia na quarta-feira, aprofundando a crise energética após semanas de bombardeamentos que atingiram particularmente a infra-estrutura de energia.

Segundo o Ministério da Energia, estes ataques deixaram sem electricidade “a grande maioria dos consumidores” do país, que contava com cerca de 40 milhões de habitantes antes do início da invasão russa lançada a 24 de Fevereiro.

Diário de Notícias
DN/Lusa
24 Novembro 2022 — 11:53



 

775: Rússia recusa extraditar dois cidadãos russos condenados por derrube de avião da Malaysian

– Num regime nazi ☠️卐☠️ de assassinos, há que proteger outros assassinos de cumprirem pena.

ASSASSINOS/RUSSONAZIS ☠️卐☠️ /MALAYSIAN AIRLINES

A Constituição russa estabelece uma proibição directa da extradição de cidadãos russos para países estrangeiros.

© EPA/ALESSANDRO GUERRA

A Rússia assegurou esta quinta-feira que “analisará” o veredicto da justiça neerlandesa, que condenou, à revelia, a prisão perpétua dois cidadãos russos e um ucraniano pró-Moscovo pelo derrube do avião da Malaysian Airlines, em 2014, mas descartou qualquer extradição.

Segundo o porta-voz adjunto do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, Ivan Nechaev, o que Moscovo pode fazer neste momento é “analisar” a decisão do tribunal do distrito de Haia.

“Cada pormenor importa e, após analisar todos os dados, estaremos seguramente dispostos a comentar”, afirmou Nechaev.

No entanto, fontes próximas do Governo russo adiantaram à agência noticiosa Interfax que está excluído que sejam extraditados para os Países Baixos os dois cidadãos russos condenados à revelia, Igor Girkin e Sergei Dubinsky.

“A Constituição russa estabelece uma proibição directa da extradição de cidadãos russos para países estrangeiros. Portanto, nem um nem outro serão enviados para solo neerlandês”, disse à Europa Press fonte das forças de segurança russas, sob condição de anonimato.

Girkin e Dubinsky, juntamente com o ucraniano Leonid Kharchenko, foram considerados culpados de homicídio por terem participado da destruição do avião da Malaysian Airlines, que provocou 298 mortes.

No julgamento, que durou mais de dois anos, ficou provado que o Boeing 777, que voava de Amesterdão para Kuala Lumpur, foi atingido por um míssil ‘Buk’, de fabrico russo, disparado por combatentes ucranianos pró-Moscovo a 17 de Julho de 2014, lançado de um território localizado na região de Lugansk.

Diário de Notícias
DN/Lusa
17 Novembro 2022 — 18:02