Segurança Social enviou (por engano) 33 ‘cheques’ de 125€ para a mesma morada

– Em contrapartida, a “segurança” social NEGA o RSI a uma desempregada há mais de seis anos por despedimento colectivo, depois de mais de TRINTA ANOS de pagamentos de impostos ao Estado e descontos para a SS, sem qualquer rendimento porque terminaram os seus subsídios de desemprego! É esta a “segurança” que a segurança social pratica socialmente.

SEGURANÇA SOCIAL/125€/33 ENGANOS…

Caso aconteceu em Lisboa.

© Shutterstock

A Segurança Social enviou 33 ‘cheques’ de 125 euros para a mesma morada, por engano, no âmbito dos apoios extraordinários que começaram a ser pagos no início desta semana. A notícia, refira-se, é avançada pela SIC Notícias, dando conta que o caso aconteceu em Lisboa.

Os pagamentos por parte da Segurança Social começaram a ser feitos no início desta semana e o Notícias ao Minuto já pediu, inclusive, um balanço ao Ministério do Trabalho. Contudo, e apesar da insistência, ainda não foi possível obter uma resposta.

Um morador lisboeta, que não quis ser identificado, deu conta de 33 vales postais na sua caixa de correio, para 33 pessoas diferentes. Cada um no valor de 125 euros.

Na prática, foram enviados mais de quatro mil euros para a mesma morada.

O proprietário herdou o imóvel “há pouco” e diz ter conhecimento de um contrato de arrendamento a um imigrante, realizado há quatro anos.

“É difícil num T2 morarem aqui 33 pessoas, não é?”, questionou o proprietário que recebeu as cartas, adiantando que há “algo de estranho” neste caso.

“Esta morada se calhar, provavelmente, era usada para outros fins, para registar várias pessoas que viessem do estrangeiro”, acrescentou. O proprietário diz que viu a caixa de correio “arrombada várias vezes”.

Os destinatários dos cheques podem já não estar em Portugal.

O apoio de 125 euros começou a ser pago na segunda-feira pela Segurança Social a quem recebe algumas prestações sociais, abrangendo 1,6 milhões de beneficiários, segundo o Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

Em causa está o apoio de 125 euros e de 50 euros por descendente, criado pelo Governo com o objectivo de mitigar o impacto da inflação.

Nos casos de beneficiários de algumas prestações sociais, o apoio é pago pela Segurança Social e, no caso de titulares de rendimentos, é efectuado pela Autoridade Tributária e Aduaneira (AT).

Entre os beneficiários de prestações sociais com direito ao apoio estão as pessoas que recebem subsídio de desemprego, subsídio social de desemprego, subsídios de doença, Rendimento Social de Inserção (RSI), prestação social para a inclusão, Complemento Solidário para Idosos (CSI) e subsídio de apoio ao cuidador informal principal.

Notícias ao Minuto
27/10/22 15:28