133: Guterres condena ataque e Kiev inicia operação de charme em Davos

 

– O que é preciso mais para classificar TODOS os ataques, bombardeamentos, assassínios de civis de todas as idades, destruição de infra-estruturas de electricidade, gás e água, escolas, maternidades, hospitais, supermercados, etc., como CRIMES DE GUERRA praticados pelos putinofantoches terroristas russonazis 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺? Que a Ucrânia fique reduzida a pó? Que os seus habitantes sejam dizimados? Que esses animais, autênticas Bestas do Leste, possam continuar a bombardear, assassinar, destruir, sem que ninguém mexa uma palha para acabar com este GENOCÍDIO? Tristes figuras fazem estes dirigentes do “Ocidente” neste espectáculo dantesco de morte e destruição! Mais vale darem um abraço ao russonazi terrorista putinofantoche 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺 e entregar-lhe a Ucrânia! Topa-se que a destruição mostrada na imagem abaixo é de alvos militares!  “”As forças armadas russas não atingem edifícios residenciais ou infra-estruturas sociais. Atacam alvos militares”, disse o animal russonazi terrorista assassino 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺 , porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.”

🇺🇦 SLAVA UKRAYINI 🇺🇦

🇺🇳 ONU // HIPOCRISIA // CINISMO

published in: 3 semanas 

Secretário-geral da ONU aponta para possível crime de guerra em Dnipro. Moscovo rejeita qualquer responsabilidade.

O número de mortes do míssil russo em Dnipro ascende a 40.
© VITALII MATOKHA/AFP

O secretário-geral da ONU condenou o ataque com mísseis russos a um edifício de apartamentos na cidade ucraniana de Dnipro, que causou pelo menos 40 mortos, como um possível crime de guerra.

Enquanto o Kremlin rejeita a autoria do mesmo, Kiev prepara uma operação de charme na cimeira de Davos, com o objectivo de conseguir o maior apoio possível para o esforço de guerra.

“Um ataque atingiu um edifício residencial em Dnipro no sábado à noite, num dos ataques mais mortíferos na Ucrânia desde o início da invasão russa em Fevereiro passado”, disse Stephanie Tremblay, porta-voz de António Guterres.

“O secretário-geral condenou este ataque, dizendo que este era mais um exemplo de suspeita de violação das leis da guerra”, prosseguiu. Tremblay disse ainda que a coordenadora das Nações Unidas na Ucrânia, Denise Brown, “apelou a uma investigação eficaz dos suspeitos de crimes de guerra e à adequada acusação dos suspeitos” do ataque em Dnipro que conta com três crianças entre as vítimas mortais e 29 desaparecidos.

Moscovo rejeitou qualquer responsabilidade, tendo insinuado que foram os sistemas de defesa aérea ucranianos a causar o desastre, dando gás a uma teoria sem provas que circula nas redes sociais. “As forças armadas russas não atingem edifícios residenciais ou infra-estruturas sociais. Atacam alvos militares”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

Uma equipa de ministros e funcionários ucranianos chefiados pela primeira-dama Olena Zelenska deslocou-se ao Fórum Económico Mundial na cidade suíça de Davos para fazer pressão no sentido de uma maior ajuda ocidental e entrega de armas com características diferentes das que Kiev possui.

“É por isso que estou aqui”, disse o presidente da câmara da capital ucraniana Vitali Klitschko quando questionado sobre a necessidade de mais ajuda. “É por isso que é muito importante falar directamente. É muito importante ter uma ligação pessoal”.

A invasão russa da Ucrânia é um dos maiores temas da cimeira deste ano, que arrancou formalmente na segunda-feira à noite. A reunião anual de Davos, nos Alpes suíços, reúne centenas de chefes de governo, ministros e milhares de líderes empresariais, com a presença amanhã do secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg.

Zelenska vai falar esta terça-feira numa das sessões de abertura, enquanto o seu marido Volodymyr Zelensky vai comunicar por videoconferência em eventos à margem do fórum na quarta-feira e na quinta-feira.

Davos precede a importante reunião dos aliados, na sexta-feira, na base de Ramstein, Alemanha, sobre mais meios a disponibilizar à Ucrânia e a sua coordenação.

Diário de Notícias
DN/AFP
17 Janeiro 2023 — 00:11



 

 15 total views

117: Ocidente vai entregar mais armas pesadas num futuro próximo à Ucrânia

 

– Se logo no início da invasão terrorista dos russonazis 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺 do putinofantoche tivessem entregue armamento pesado aos ucranianos, a actual situação já não se verificaria! Agora e num “futuro próximo”, quando a Ucrânia já estiver completamente arrasada, sem mais nada para destruir pelos russonazis 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺 terroristas psicopatas putinofantoches, o “Ocidente” irá então entregar mais armas pesadas…!!! Cinismo e hipocrisia q.b. !

– “… Os Estados ocidentais têm-se mostrado reticentes em entregar armamento mais pesado à Ucrânia, alegando terem receio de serem arrastados para a guerra ou de provocar a Rússia.

Provocar a rússia? um estado terrorista que não respeita a Carta das Nações Unidas, o Direito Internacional, a soberania de um país independente, invadindo, destruindo infra-estruturas básicas de sobrevivência, residências civis, hospitais, maternidades, escolas, creches, assassinando e torturando milhares de civis desde crianças a idosos? Afinal quem é o provocado e o provocador nesta estória?

© Sameer Al-DOUMY / AFP

🇷🇺 A RÚSSIA ☠️卐☠️ É UM ESTADO PÁRIA, TERRORISTA, ASSASSINO, LADRÃO, GENOCIDA, VIOLADOR 🇷🇺

🇺🇦 A UCRÂNIA É DOS UCRANIANOS 🇺🇦,
NÃO É DOS RUSSONAZIS
🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺

published in: 3 semanas 

“As recentes promessas de armamento pesado são significativas – e espero que mais venham no futuro próximo”, disse Jens Stoltenberg.

Jens Stoltenberg.
© EPA/OLIVIER HOSLET

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, afirmou este domingo que Kiev vai receber mais armas pesadas dos seus aliados ocidentais “num futuro próximo”, um pedido que tem sido frequentemente repetido pelas autoridades da Ucrânia.

“As recentes promessas de armamento pesado são significativas – e espero que mais venham no futuro próximo”, disse Jens Stoltenberg, citado pelo jornal diário alemão Handelsblatt.

A garantia do secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO, na sigla em inglês) foi dada poucos dias antes de uma nova reunião, agendada para 20 de Janeiro, dos países ocidentais que fornecem ajuda à Ucrânia, que irá decorrer na base norte-americana de Ramstein, na Alemanha.

“Estamos numa fase decisiva da guerra”, acrescentou Stoltenberg, admitindo que “é importante fornecer à Ucrânia as armas de que precisa para vencer”.

Os Estados ocidentais têm-se mostrado reticentes em entregar armamento mais pesado à Ucrânia, alegando terem receio de serem arrastados para a guerra ou de provocar a Rússia.

Ainda assim, a gama de armas que têm fornecido à Ucrânia alargou-se recentemente.

No início do mês, França, Alemanha e Estados Unidos prometeram enviar veículos blindados com tanques de infantaria ou de reconhecimento – 40 Marders alemães, 50 Bradleys norte-americanos e AMX-10 RC franceses.

O Reino Unido anunciou no sábado que vai entregar tanques Challenger 2 à Ucrânia, tornando-se assim no primeiro país a fornecer tanques pesados de construção ocidental a Kiev.

Moscovo denunciou que a decisão não vai mudar a situação no terreno, assegurando que a única consequência será a escalada do conflito.

Segundo o secretário-geral da NATO, o Presidente russo, Vladimir Putin, cometeu um erro ao atacar a Ucrânia, “sobrestimando as suas próprias forças armadas”.

Consegue-se ver “os erros, a falta de moral, os problemas de comando, o equipamento deficiente” que tornam a ofensiva russa num erro, disse, reconhecendo, no entanto, que os russos “demonstraram que estão prontos para suportar pesadas perdas para atingir o seu objectivo”.

A ofensiva militar lançada em 24 de Fevereiro de 2022 é justificada por Putin com a necessidade de “desnazificar” e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

Diário de Notícias
DN/Lusa
15 Janeiro 2023 — 17:16

 




 

 15 total views