630: Chuva e vento fortes arrancam árvores centenárias, causam inundações e destroem carros

TEMPORAL/INUNDAÇÕES

A forte chuva que caiu entre as 13:30 e 14:00 esta terça-feira em Lisboa levou ao corte de algumas vias e ao encerramento temporário do túnel junto à Praça José Queirós, para o escoamento de águas, disse à Lusa fonte dos bombeiros.

Miguel A. Lopes / Lusa

Segundo o comandante dos Sapadores Bombeiros de Lisboa, Tiago Lopes, “algumas vias da cidade de Lisboa estiveram cortadas devido ao escoamento de águas”, tendo sido registadas cerca de 25 inundações em espaços públicos e privados.

“As tampas de escoamento de águas levantaram devido ao caudal, o que obrigou a interromper a circulação”, explicou, indicando também a ocorrência de algumas quedas de árvores na cidade.

Já a Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANEPC) adiantou à Lusa ter um registo de 106 ocorrências, entre as 00:00 e as 13:00 deste dia, em todo o território continental, devido à chuva.

Paulo Santos, comandante da Protecção Civil, disse que os distritos mais afectados foram os do Porto e de Aveiro, sobretudo devido a inundações em vias urbanas e quedas de árvores.

Em Alcântara, em Lisboa, vários carros sofreram estragos avultados ao serem atingidos por árvores arrancadas do solo pelo forte vento. Aquela freguesia foi uma das mais afectadas mas a chuva deixou estragos noutras zonas da cidade, nomeadamente na Baixa.

O fenómeno atmosférico, semelhante a um tornado, causou a queda de árvores, algumas centenárias. Segundo o presidente da Junta de Freguesia de Alcântara, David Amaro, o jardim Avelar Brotero ficou completamente destruído.

Outra fonte revelou que a cobertura do armazém do Banco Alimentar contra a Fome, junto à estação de Alcântara Terra, terá sido arrancada pelo vento.

Parte do telhado do Banco Alimentar Contra a Fome desapareceu com o tornado!

Na Rua da Prata, um camião derramou cimento no pavimento, que, à mistura com a chuva deixou a artéria intransitável. Também na Rua das Pretas, uma perpendicular à Avenida da Liberdade, se registou uma cheia, que obrigou a fechar algumas lojas.

A Protecção Civil alertou na segunda-feira a população para as previsões de chuva e vento durante o dia desta terça-feira, com possibilidade de ocorrência de cheias, inundações e deslizamento de terras, principalmente nas regiões do Norte e Centro.

“Houve ainda o registo de uma ocorrência de um fenómeno extremo de vento, a meio da manhã, cerca das 10:50, na Marinha Grande [Leiria], que levou à queda de várias árvores, danos em 14 veículos e uma estrutura metálica que voou e danificou linhas de alta tensão, o que levou à intervenção da E-Redes”, disse Paulo Santos.

Segundo o responsável, os veículos foram afectados por detritos de destroços e quedas de árvores. Em relação à chuva forte registada ao início da tarde, Paulo Santos disse, cerca das 14:25, ainda não ser possível fazer um balanço.

Nas redes sociais começam a surgir vídeos do temporal e de locais inundados na cidade de Lisboa:

ZAP //
8 Novembro, 2022