1037: Zelensky anuncia restrições a organizações religiosas ligadas à Rússia

🇷🇺 RUSONAZSʹKI VBYVTSI 🇷🇺

🇷🇺 RÚSSIA – ESTADO TERRORISTA 🇷🇺

🇺🇦 UCRÂNIA / ORTODOXOS / RESTRIÇÕES / RUSSONAZIS 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺

A Ucrânia vai limitar no seu território as actividades das organizações religiosas filiadas à Rússia e questionar o estatuto da igreja ortodoxa dependente do patriarcado de Moscovo, anunciou hoje o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

Zelensky
© EPA

“O Conselho de Segurança Nacional e de Defesa encarregou o Governo de propor à Verkhovna Rada (parlamento) um projecto-lei para tornar impossível as actividades na Ucrânia de organizações religiosas filiadas aos centros de influência na Rússia”, declarou no seu habitual discurso nocturno por vídeo.

Segundo Zelensky, o Estado ucraniano deverá ainda averiguar sobre o estatuto da Igreja ortodoxa ucraniana relacionado “com a presença de uma ligação canónica com o patriarcado de Moscovo e, se necessário, adoptar as medidas previstas na lei”.

Estas medidas segurem-se às operações de busca efectuadas em Novembro pelos serviços de segurança ucranianos no principal mosteiro de Kiev, a capital, e local de residência do primado da Igreja ortodoxa ucraniana, e em outros locais de culto, justificadas pelas suspeitas de ligações com Moscovo.

Os serviços secretos ucranianos anunciaram de seguida a confiscação de milhares de dólares e de “literatura pró-russa”.

A Ucrânia, um país com maioria de população ortodoxa, está dividida entre uma Igreja dependente do patriarcado de Moscovo — que no entanto anunciou a ruptura das ligações com a Rússia no final de Maio devido à invasão do país — e por uma outra Igreja representada pelo patriarcado de Kiev e que em 2019 prestou obediência ao patriarca Bartolomeu, sediado em Istambul.

Já no oeste do país, é significativa a influência da Igreja greco-católica, que cumpre a liturgia ortodoxa mas presta obediência ao Papa.

O patriarca Kirill, o chefe supremo da Igreja ortodoxa russa, tem manifestado um importante apoio ao Presidente Vladimir Putin e denunciou as acções policiais na Ucrânia como um “acto de intimidação” dirigido aos crentes.

A ofensiva militar lançada a 24 de Fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou já a fuga de mais de 13 milhões de pessoas — mais de seis milhões de deslocados internos e mais de 7,8 milhões para países europeus -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A invasão russa — justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de “desnazificar” e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia – foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

A ONU apresentou como confirmados desde o início da guerra 6.655 civis mortos e 10.368 feridos, sublinhando que estes números estão muito aquém dos reais.

Diário de Notícias
DN/Lusa
01 Dezembro 2022 — 23:18



 

Rede em Kherson atacada; Eficácia de ataques russos “mitigada”

🇷🇺 UBIYTSY! 🇷🇺

 

UCRÂNIA / KHERSON / ATAQUES RUSSONAZIS 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺

Milhões de ucranianos continuam a ser afectados pelos cortes e falhas no fornecimento de luz e água, devido aos ataques russos a infra-estruturas críticas. Cerca de seis milhões de pessoas não têm electricidade e as forças ucranianas temem mais ataques a estas infra-estruturas, o que poderá complicar ainda mais um inverno que será muito frio para a população.

© Metin Aktas/Anadolu Agency via Getty Images

A Comissão Europeia anunciou na quarta-feira que vai propor um tribunal a ser criado especificamente para investigar os alegados crimes de guerra russos. Ursula von der Leyen garantiu que irá procurar o maior consenso internacional possível para aprovar a ideia.

E do outro lado do Atlântico, os Estados Unidos acederam aos pedidos do governo ucraniano para enviar armamento mais avançado. Na quarta-feira, o Pentágono anunciou que vai dar um contrato de 1,2 mil milhões de dólares em sistemas de mísseis, que ainda serão construídos, mas não avançou nada sobre os mísseis Patriot pedidos por Kyiv.

Notícias ao MinutoNotícias ao Minuto
01/12/22 07:55
por Notícias ao Minuto



 

Podolyak pede ao Ocidente que se levante “tabu” em torno de armas

🇺🇦 SLAVA UKRAYINI 🇺🇦
🇺🇦 UKRAYINA NE ROSIYSʹKA 🇺🇦

🇺🇦 UKRAINA – NE ROSSIYA 🇺🇦
🇺🇦 HEROYAM SLAVA 🇺🇦

🇬🇧 DROP ALL RUSONAZI ORCS ☠️卐☠️ FROM UKRAINE
🇺🇦 VYHNITʹ Z UKRAYINY VSIKH RUSONAZIVSʹKYKH ORKOV ☠️卐☠️
🇷🇺 VYBROSITE VSEKH ORKOV RUSONAZI ☠️卐☠️ IZ UKRAINY

UCRÂNIA / INVASÃO RUSSONAZI 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺 / ARMAS

“Impunidade gera arbitrariedade”, considerou o conselheiro presidencial da Ucrânia.

© Getty Images

O conselheiro presidencial ucraniano, Mykhailo Podolyak, referiu-se, esta segunda-feira, aos ataques russos contra as infra-estruturas críticas do país para pedir armas mais avançadas aos países aliados da Ucrânia.

Através de uma publicação divulgada no Twitter, o conselheiro do presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, considerou que estes ataques, que têm deixado “milhões de ucranianos sem luz e água”, têm de “levantar o tabu” em torno do fornecimento de armas.

“Cada ataque da Federação Russa em infra-estruturas críticas para deixar milhões de ucranianos sem luz e água tem de levantar o ‘tabu’ sobre tipos modernos de suprimentos de armas de aliados”, começou por escrever.

“A impunidade gera arbitrariedade. O agressor deve sentir o preço de cada próximo passo”, defendeu.

Recorde-se que a invasão russa à Ucrânia teve início a 24 de Fevereiro, tendo sido condenada, desde então, pela comunidade internacional. Os pedidos da Ucrânia para que o Ocidente envie armamento ao país têm sido uma constante.

Notícias ao MinutoNotícias ao Minuto
28/11/22 10:28
por Notícias ao Minuto



 

959: Ucrânia: Zelensky quer população preparada para novos ataques russos no inverno

🇺🇦 SLAVA UKRAYINI 🇺🇦
🇺🇦 UKRAYINA NE ROSIYSʹKA 🇺🇦

🇺🇦 UKRAINA – NE ROSSIYA 🇺🇦
🇺🇦 HEROYAM SLAVA 🇺🇦

🇬🇧 DROP ALL RUSONAZI ORCS ☠️卐☠️ FROM UKRAINE
🇺🇦 VYHNITʹ Z UKRAYINY VSIKH RUSONAZIVSʹKYKH ORKOV ☠️卐☠️
🇷🇺 VYBROSITE VSEKH ORKOV RUSONAZI ☠️卐☠️ IZ UKRAINY

UCRÂNIA/INVERNO/ATAQUES RUSSONAZIS 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺

Presidente da Ucrânia pediu mais uma vez unidade entre os cidadãos ucranianos, e maior atenção aos alertas aéreos.

© EPA/SERGEY DOLZHENKO

O Presidente da Ucrânia avisou, no domingo, os cidadãos para estarem preparados para as consequências de novos ataques da Rússia, depois de ter acusado Moscovo de usar o frio contra a população.

Volodymyr Zelensky afirmou que as tropas russas estão a preparar novos ataques: “sabemos isso com certeza. E enquanto tiverem mísseis, infelizmente não vão parar”.

“Mas a nossa capacidade de nos ajudarmos uns aos outros e de cuidarmos dos mais vulneráveis, a nossa ajuda mútua é um dos elementos de protecção contra o terror, assim como a nossa força”, acrescentou, no vídeo que grava diariamente para a população ucraniana.

Neste sentido, pediu mais uma vez unidade entre os cidadãos ucranianos, e maior atenção aos alertas aéreos.

“Juntos e ajudando-nos uns aos outros, superaremos também este desafio da guerra: este inverno, esta tentativa da Rússia de usar o frio contra o povo”, considerou.

As declarações do Presidente foram feitas depois de a maioria das regiões do país ter conseguido restabelecer o fornecimento de energia, no domingo, na sequência de bombardeamentos russos contra infra-estruturas energéticas, na semana passada.

Também este fim de semana, o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, acusou o Presidente russo, Vladimir Putin, de tentar usar o inverno como arma.

Stoltenberg lembrou “como é perigoso” para a população europeia “depender da Rússia” para o fornecimento de gás natural.

“Temos agora de avaliar a nossa dependência de regimes autoritários, especialmente da China”, indicou o responsável.

Diário de Notícias
DN/Lusa
28 Novembro 2022 — 11:56



 

954: 3% dos ataques a instalações militares; 87 mil russos mortos

🇺🇦 SLAVA UKRAYINI 🇺🇦
🇺🇦 UKRAYINA NE ROSIYSʹKA 🇺🇦

🇺🇦 UKRAINA – NE ROSSIYA 🇺🇦
🇺🇦 HEROYAM SLAVA 🇺🇦

🇬🇧 DROP ALL RUSONAZI ORCS ☠️卐☠️ FROM UKRAINE
🇺🇦 VYHNITʹ Z UKRAYINY VSIKH RUSONAZIVSʹKYKH ORKOV ☠️卐☠️
🇷🇺 VYBROSITE VSEKH ORKOV RUSONAZI ☠️卐☠️ IZ UKRAINY

ORCS/RUSSONAZIS 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺 /ATAQUES/TERRORISTAS/MERCENÁRIOS NAZIS/ASSASSINOS

A neve deverá voltar a cair em Kyiv a partir deste domingo, com as temperaturas a cair abaixo dos 0ºC quer de dia, quer de noite, numa altura em que milhões de pessoas permanecem sem electricidade ou aquecimento.

© Chris McGrath/Getty Images

As autoridades ucranianas denunciaram também ter havido pelo menos 13 feridos em novos ataques com mísseis russos em Dinpro, no sul do país.

Além de Dnipro, também a pequena cidade de Chasiv, na região de Donetsk, no leste da Ucrânia, foi atacada este fim de semana.

Naquela cidade, sob controlo ucraniano, foi atingido um edifício de apartamentos, tendo três pessoas ficado feridas, segundo o governador militar da região, Pavlo Kirilenko.

Notícias ao MinutoNotícias ao Minuto
08:16 – 27/11/22



 

Autoridades ucranianas vasculham mosteiros à procura de “actividades subversivas”

🇺🇦 SLAVA UKRAYINI 🇺🇦
🇺🇦 UKRAYINA NE ROSIYSʹKA 🇺🇦

🇺🇦 UKRAINA – NE ROSSIYA 🇺🇦
🇺🇦 HEROYAM SLAVA 🇺🇦

🇬🇧 DROP ALL RUSONAZI ORCS FROM UKRAINE
🇺🇦 VYHNITʹ Z UKRAYINY VSIKH RUSONAZIVSʹKYKH ORKOV
🇷🇺 VYBROSITE VSEKH ORKOV RUSONAZI IZ UKRAINY

IGREJA ORTODOXA/UCRÂNIA/BUSCAS/ACTIVIDADES SUBVERSIVAS

As buscas visaram instalações ligadas à Igreja Ortodoxa Ucraniana do Patriarcado de Moscovo, incluindo o Mosteiro das Cavernas de Kiev.

© EPA/SERGEI ILNITSKY

Os serviços de segurança da Ucrânia (SBU) vasculharam vários mosteiros em diferentes cidades, incluindo Kiev, para encontrar alegadas “actividades subversivas” a cargo dos interesses russos.

As buscas visaram instalações ligadas à Igreja Ortodoxa Ucraniana do Patriarcado de Moscovo, incluindo o Mosteiro das Cavernas de Kiev, declarado Património da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

As autoridades também alargaram as suas operações à região de Rivne, no oeste da Ucrânia, com o objectivo de localizar possíveis stocks de armas ou esconderijos de espiões.

A Igreja Ortodoxa tentou nos últimos meses distanciar-se de possíveis simpatias por Moscovo, afastando-se assim da ofensiva militar iniciada em Fevereiro.

Mas, no entanto, a SBU arrancou uma investigação após uma música cantada num culto ter defendido o despertar da “Mãe Rússia”.

O porta-voz do Kremlin, Dimitri Peskov, acusou Kiev de estar a fazer perseguição religiosa.

Na sua opinião, as buscas em mosteiros é “mais um elo na cadeia de ações militares contra a ortodoxia russa”, de acordo com órgãos oficiais.

A ofensiva militar lançada a 24 de Fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou já a fuga de mais de 13 milhões de pessoas – mais de seis milhões de deslocados internos e mais de 7,8 milhões para países europeus -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A invasão russa — justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de “desnazificar” e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia – foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

A ONU apresentou como confirmados desde o início da guerra 6.595 civis mortos e 10.189 feridos, sublinhando que estes números estão muito aquém dos reais.

Diário de Notícias
DN/Lusa
22 Novembro 2022 — 22:28



 

858: Ucrânia com apagões de energia até Março

🇺🇦 SLAVA UKRAYINI 🇺🇦
🇺🇦 UKRAYINA NE ROSIYSʹKA 🇺🇦

🇺🇦 UKRAINA – NE ROSSIYA 🇺🇦
🇺🇦 HEROYAM SLAVA 🇺🇦

🇬🇧 DROP ALL RUSONAZI ORCS FROM UKRAINE
🇺🇦 VYHNITʹ Z UKRAYINY VSIKH RUSONAZIVSʹKYKH ORKOV
🇷🇺 VYBROSITE VSEKH ORKOV RUSONAZI IZ UKRAINY

Organização Mundial de Saúde alertou para as milhões de vidas ucranianas em risco, destacando que que o sistema de saúde do país “atravessa os seus dias mais negros”.

Sergey Dolzhenko / EPA

– Pena esta imagem não ser a de uma rua de Moscovo…

Serguei Kovalenko, director da empresa de energia Yasno, a maior a operar em Kiev, antecipou esta segunda-feira um cenário negro para os habitantes da cidade que, perante os sucessivos ataques que o país tem sofrido por parte das forças russas, terão de enfrentar apagões sucessivos talvez até Março do próximo ano.

De acordo com o responsável, milhões de pessoas poderão ficar sem electricidade ou água ao longo dos próximos meses (ou mais frios), pelo que terão que recorrer a formas alternativas para garantir o seu aquecimento.

Ainda assim, garantiu, os funcionários da empresa estão a acelerar as reparações, de forma a minimizar os impactos junto da população.

O dia de ontem ficou ainda marcado pela entrada em vigor de novas restrições relacionadas com a distribuição de electricidade, o que resultou na desconexão de mais de 950 mil clientes.

Também a empresa estatal Ukrenergo anunciou novos apagões para esta terça-feira, em linha com o que tem acontecido no país nas últimas semanas.

Perante estas limitações no aquecimento das casas e da população, a Organização Mundial de Saúde alertou para as milhões de vidas ucranianas em risco, destacando que que o sistema de saúde do país “atravessa os seus dias mais negros até ao momento”.

De acordo com Hans Kluge, director regional do organismo para a Europa, as temperaturas em algumas regiões do país podem chegar aos -20º, deixando a população “no limiar da sobrevivência“.

ZAP //
22 Novembro, 2022



 

Zelensky descarta “trégua curta” com a Rússia. “Seria um fôlego para eles recuperarem forças”

UCRÂNIA/INVASÃO/GUERRA/RUSSONAZIS ☠️卐☠️

A Casa Branca já afirmou que Zelensky é o único que pode decidir quando iniciar conversas de paz com a Rússia e rejeitou a ideia de que pressiona Kiev para negociar o fim da guerra.

© EPA/UKRAINE PRESIDENTIAL PRESS SERVICE

O presidente da Ucrânia, Volodimir Zelensky, descartou esta sexta-feira a ideia de uma “trégua curta” com a Rússia, dizendo que isso só pioraria as coisas.

A Rússia procura agora uma trégua curta, um fôlego para recuperar as forças. Podem chamar de fim da guerra, mas esse fôlego só pioraria a situação”, afirmou Zelensky em declarações transmitidas no Fórum Internacional de Segurança de Halifax, no Canadá.

Uma paz genuína, duradoura e honesta só pode ser o resultado de um fim completo da agressão russa”, disse o presidente ucraniano.

A Casa Branca havia afirmado mais cedo que Zelensky é o único que pode decidir quando iniciar conversas de paz com a Rússia, rejeitando a ideia de que pressiona Kiev para negociar o fim da guerra, que começou a 24 de Fevereiro com a invasão russa da Ucrânia.

O chefe do Estado-Maior Conjunto dos Estados Unidos, o general Mark Milley, havia sugerido na quarta-feira que Kiev poderia aproveitar e abrir negociações para acabar com a guerra, depois das suas vitórias significativas no campo de batalha e com as forças russas significativamente enfraquecidas.

Contudo, Milley também afirmou que as hipóteses da Ucrânia expulsar militarmente a Rússia de todo o seu território eram baixas. “A probabilidade de uma vitória militar ucraniana, expulsando os russos de toda a Ucrânia, incluindo a Crimeia, não é alta”, disse o líder militar norte-americano, embora tenha apontado que pode haver uma solução política para a retirada de Moscovo.

Diário de Notícias
DN/AFP
19 Novembro 2022 — 10:35



 

792: Kiev diz que cerca de metade do sistema energético está inoperacional

UCRÂNIA/INVASÃO/GUERRA/RUSSONAZIS ☠️卐☠️ /ENERGIA/PUTINOCRACIA

Cerca de 40% das infra-estruturas energéticas foram danificadas em Outubro no decurso da primeira vaga de ataques com mísseis russos, indicam os dados das autoridades ucranianas.

Linha de energia na região de Kiev, na Ucrânia
© EPA/OLEG PETRASYUK

O primeiro-ministro ucraniano, Denys Shmyhal, afirmou esta sexta-feira que cerca de metade do sistema energético do país está inoperacional na sequência dos ataques russos contra esta decisiva infra-estrutura do país.

“Infelizmente, a Rússia prossegue os seus ataques com mísseis contra a infra-estrutura civil essencial da Ucrânia, combatendo contra a sua população civil e privando-a de luz, água, aquecimento e comunicações durante o inverno”, disse Shmyhal em Kiev num encontro com Valdis Dombrovskis, vice-presidente da Comissão Europeia.

“Só no dia 15 de Novembro, a Rússia disparou cerca de 100 mísseis contra cidades ucranianas. Quase metade do nosso sistema energético está fora de serviço”, acrescentou.

Shmyhal sublinhou que, nestas condições, a Ucrânia necessita de mais apoio por parte dos aliados europeus nas áreas energética e financeira, através do fornecimento de equipamento e de recursos para garantir o fornecimento de gás e reforçar o sector da energia.

Cerca de 40% das infra-estruturas energéticas foram danificadas em Outubro no decurso da primeira vaga de ataques com mísseis russos, indicam os dados das autoridades ucranianas.

Na noite de quinta-feira, o Presidente ucraniano Volodymyr Zelensky afirmou que mais de dez milhões de pessoas estão sem electricidade, em particular nas regiões de Vynnitsia, Odessa, Sumy e Kiev, onde está a ser “feito o possível” para normalizar a situação.

A ofensiva militar lançada a 24 de Fevereiro pela Rússia na Ucrânia causou já a fuga de mais de 13 milhões de pessoas – mais de seis milhões de deslocados internos e mais de 7,8 milhões para países europeus -, de acordo com os mais recentes dados da ONU, que classifica esta crise de refugiados como a pior na Europa desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A invasão russa – justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de “desnazificar” e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia – foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

A ONU apresentou como confirmados desde o início da guerra 6.557 civis mortos e 10.074 feridos, sublinhando que estes números estão muito aquém dos reais.

Diário de Notícias
DN/Lusa
18 Novembro 2022 — 17:18



 

791: Zelensky diz que Kiev está a ganhar a batalha da informação

UCRÂNIA/INVASÃO/GUERRA/RUSSONAZIS ☠️卐☠️ /INFORMAÇÃO/PUTINOCRACIA

Zelensky criticou ainda a assinatura russa na declaração conjunta dos países que participaram na última cimeira do G20 que decorreu em Bali por “violar a maioria dos princípios” que promete cumprir.

Zelensky
© EPA/SERGEY DOLZHENKO

O presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, destacou esta sexta-feira que o seu país conseguiu impor-se à Rússia no campo de batalha da informação, apesar do potencial bélico do seu opositor na guerra em curso no território ucraniano.

“Julgo que percorremos muito bem este caminho. Ainda não terminámos, mas conseguimos que nos escutassem. A informação nas nossas mãos começou a ser uma arma poderosa”, disse o chefe de Estado ucraniano, numa conversa por videoconferência com estudantes irlandeses.

Nesse sentido, Zelensky sublinhou que, “apesar de a Rússia possuir mais armas no campo de batalha”, Kiev conseguiu superar Moscovo “no espaço da informação”, indicou a agência noticiosa ucraniana Ukrinform.

No decurso da sua intervenção, o presidente ucraniano criticou a “propaganda” russa, e referiu-se às recentes sanções impostas pelo Kremlin (presidência russa) a cerca de 50 políticos do país.

“As restrições impostas pela Rússia não afectam particularmente nada. Trata-se de mais uma técnica de propaganda para que possam mentir na televisão russa, como se a Rússia fosse capaz de fazer algo na diplomacia”, disse.

Em simultâneo, também

Zelensky assinalou ainda que a Rússia mobiliza todos os seus recursos para a guerra e se converteu “no maior Estado terrorista da História”, ao mesmo tempo que diz ser defensora do “Direito Internacional” ou afirma que está a assegurar medidas para garantir a estabilidade energética.

Sobre este último ponto, Zelensky lembrou que Moscovo tem lançado mísseis contra as centrais eléctricas e de produção de gás da Ucrânia.

Diário de Notícias
DN /Lusa
18 Novembro 2022 — 19:46