449: Portugal sem recolha de lixo é hipótese real

PORTUGAL/LIXO/RECOLHA EM RISCO

Alan Stanton / Flickr

Aumento do preço dos combustíveis origina prejuízo nas empresas que tratam da recolha do lixo. Contratos não foram actualizados.

Portugal poderá ficar sem recolha de lixo, em breve. O aviso é da Associação Portuguesa dos Empregadores de Resíduos de Limpeza Urbana.

A questão que pode originar este cenário é o aumento inédito nos preços dos combustíveis, desde que a guerra na Ucrânia começou.

Os contratos entre Câmaras Municipais e empresas que limpam as ruas têm precisamente o preço dos combustíveis como pressuposto.

Os valores de gasóleo e gasolina aumentaram e essas empresas começaram a apresentar prejuízos – porque os contratos são assinados com validade de entre 5 a 10 anos, não tendo sido actualizados.

“Se eu tiver um aumento do preço dos combustíveis, o valor da prestação de serviço aos municípios tem de aumentar. Mas se eu tiver uma descida, o preço também tem de descer”, explicou André Almeida, porta-voz da Associação Portuguesa dos Empregadores de Resíduos de Limpeza Urbana.

Se os contratos não forem alterados, deixar de recolher o lixo é mesmo o próximo passo: “Ou as coisas mudam ou – eu não tenho nenhuma duvida e temos de ser claros em afirmá-lo – a saúde pública está em causa neste país“, avisou, na rádio Renascença.

José Emílio Viana, do Sindicato Nacional da Indústria e da Energia, deixou outro aviso: a possibilidade de despedimentos colectivos no sector.

“O incumprimento do serviço público trará o incumprimento para com os trabalhadores, eventualmente a existência de despedimentos colectivos… São estas as nossas preocupações”, reforçou.

As empresas querem ter mais apoios por parte do Estado e há reunião marcada para esta segunda-feira, com o Ministério do Ambiente.

  ZAP //
17 Outubro, 2022