223: Quanto custam aos contribuintes as Jornadas com o Papa? Ninguém sabe (nem quanto paga a Igreja)

 

– As entidades organizadoras deste evento católico, gastam milhões; os pobres contam os cêntimos para sobreviverem… Que raio de doutrina e de religião é esta?

🇵🇹 JMJ 2023 // CML // CUSTOS ASTRONÓMICOS

Está lançada a polémica com o custo do altar-palco que vai acolher o Papa Francisco durante as Jornadas Mundiais da Juventude em Lisboa. Mas, na verdade, não se conhece a totalidade dos custos do evento, nem quanto será pago pelos contribuintes e pela Igreja Católica.

As Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ) são o maior encontro de jovens católicos de todo o mundo, contando com a participação do Papa. Neste ano, vão ser em Lisboa, mas a preparação do evento está a gerar polémica devido aos elevados custos envolvidos.

Nesta semana, “rebentou” a polémica com o custo do altar-palco que vai acolher o Papa, uma obra que foi adjudicada por 4,24 milhões de euros (mais IVA), segundo dados do Portal Base da contratação pública. Mas a este valor somam-se ainda 1,06 milhões de euros para as fundações indirectas da cobertura.

Estas duas obras foram entregues, em ajustes directos, às empresas Mota-Engil e Oliveiras, respectivamente.

Vai ser a Câmara Municipal de Lisboa (CML) a pagar este altar-palco de 9 metros de altura, com três plataformas e onde cabem 2 mil pessoas. Terá também dois elevadores para pessoas com mobilidade reduzida e uma escadaria.

Carlos Moedas, presidente da CML, já veio culpar a Igreja pelo elevado custo da obra, notando que é preciso responder às exigências da Fundação que organiza as JMJ e que foi criada pelo Patriarcado de Lisboa para o efeito.

Este altar-palco vai custar 18 vezes mais do que aquele que foi erguido em 2010, para a visita do então Papa Bento XVI a Lisboa, e que custou 300 mil euros.

CM Lisboa
Projecto do altar-palco das Jornadas Mundiais da Juventude em Lisboa.

Governo pode gastar mais de 36 milhões de euros

Mas os gastos das JMJ não se ficam por aqui. A SIC Notícias avança que a organização do evento tem um custo previsto superior a 36 milhões de euros.

Contudo, em Outubro de 2022, o Correio da Manhã (CM) avançou que esse valor respeitaria apenas aos gastos assumidos pelo Governo, sem contar com as questões da segurança, mobilidade e saúde.

O jornal sublinhava ainda que a CML previa gastar entre 30 e 35 milhões de euros com o evento.

Já a Câmara de Loures seria responsável por arcar com 16 milhões de euros dos custos, ainda de acordo com o CM.

Entre as obras que estão a ser feitas para acolher o evento, uma das mais importantes é a criação do Parque Urbano Tejo-Trancão no antigo aterro junto ao rio Trancão, entre Lisboa e Loures. Será neste local que vai decorrer a Missa Final de encerramento das JMJ e onde vai também nascer o altar da discórdia.

Só estas obras exigem um investimento total de 21,5 milhões de euros, incluindo a recuperação do Aterro Sanitário de Beirolas, a criação de redes de saneamento, de água e de energia, e ainda a construção de uma ponte pedonal sobre o Rio Trancão.

Não se sabe quanto vai gastar a Igreja Católica

“O Governo deixou ao encargo das Câmaras as obras dos principais recintos, mas as autarquias asseguram que a Igreja também está envolvida no custo da organização”, avança a SIC Notícias.

Só que ninguém sabe quanto é que a Igreja Católica, que organiza o evento, vai gastar ao certo, nem que fatia dos custos das obras vai suportar.

O que se sabe é que a inscrição para toda a semana das JMJ custa 235 euros.

São esperadas cerca de 1,5 milhões de pessoas no evento, esperando-se que gastem algo como 400 milhões de euros.

Susana Valente, ZAP //
25 Janeiro, 2023



 

published in: 1 semana 

 

 19 total views

215: Primeira imagem do altar do Papa que vai custar 4,2 milhões de euros à Câmara de Lisboa

 

– Se bem percebi (ou não?) pelo texto abaixo, esta coisa vai custar: altar-palco € 4,2 milhões + IVA € 966.000 + fundações indirectas da cobertura € 1.06 milhões. Ou seja, o total investido será de € 6.172.000 (seis milhões cento e setenta e dois mil). País rico este Portugal dos pequeninos…

🇵🇹 C.M.L. // ALTAR-PALCO // JMJ 2023

Projecto do palco milionário foi mostrado na conferência de imprensa desta manhã, onde esteve presente o vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Filipe Anacoreta Correia.

Jornada Mundial da Juventude

Foi revelada esta quarta-feira a primeira imagem do altar-palco onde o Papa Francisco vai presidir às celebrações finais da Jornada Mundial da Juventude 2023.

O projecto do palco milionário foi mostrado na conferência de imprensa desta manhã, onde esteve presente o vice-presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Filipe Anacoreta Correia, a falar sobre o plano de investimentos da autarquia para a JMJ.

Ao que o DN apurou, já terão sido confirmados pedidos por parte de promotores de eventos internacionais para usar o palco-altar para eventos de grande dimensão no futuro.

A construção do palco foi alvo de críticas depois de ter vindo a público que obra vai custar 4,2 milhões de euros à Câmara de Lisboa, por ajuste directo.

Segundo a informação disponibilizada no Portal Base da contratação pública, “a construção foi adjudicada por 4,24 milhões de euros (mais IVA)”, somando-se a esse valor “1,06 milhões de euros para as fundações indirectas da cobertura”.

Diário de Notícias
DN
25 Janeiro 2023 — 12:45



 

published in: 1 semana 

 

 16 total views

203: Altar do Papa vai custar 4,2 milhões à Câmara de Lisboa em ajuste directo

 

– FABULÁSTICO!!! FANTÁSTICO!!! 4,2 MILHÕES DE €UROS PARA UM ALTAR-PALCO DESTINADO AO PAPA! Entretanto onde para a ajuda aos sem abrigo, aos pedintes de Lisboa? FDS!!! Segundo rezam os livros, cristo andava de sandálias. Os Papas ornamentam-se com ouro e vestes luxuosas! Que raio de religião é esta? E para os receber, gastam-se mais de QUATRO MILHÕES DE €UROS apenas para um palco? É por estas e muitas outras que sou ATEU!

🇵🇹 ALTAR DO PAPA // JMJ // LISBOA // C.M.L.

Orçamento de Estado para 2023 abre uma excepção à Jornada Mundial da Juventude, o que permitiu que a obra fosse adjudicada por ajuste directo, apesar do elevado valor.

A obra de construção do altar-palco onde o Papa Francisco vai celebrar a missa da Jornada Mundial da Juventude 2023, em Lisboa, vai custar 4,2 milhões de euros à Câmara de Lisboa, por ajuste directo.

De acordo com o contrato publicado no Portal Base, a obra foi adjudicada pela SRU – Sociedade de Reabilitação Urbana à construtora Mota-Engil por 4.240.000 euros, sem IVA. A construtora tem agora 150 dias para executar o projecto após a consignação da obra.

O Orçamento de Estado para 2023 abre uma excepção em relação à Jornada Mundial da Juventude, o que permitiu que a obra fosse adjudicada por ajuste directo, apesar do elevado valor.

“Para a celebração de contratos que tenham por objecto a locação ou aquisição de bens móveis, a aquisição de serviços ou a realização de empreitadas de obras públicas e que se destinem à organização, programação, concepção e implementação da Jornada Mundial da Juventude 2023, incluindo as intervenções necessárias nos locais dos eventos e a eventual relocalização de instalações existentes, as entidades adjudicantes podem adoptar procedimentos de ajuste directo quando o valor do contrato for inferior aos limiares referidos nos n.os 3 ou 4 do artigo 474.º do CCP, consoante o caso”, pode ler-se no artigo. O limiar em causa é de 5,35 milhões de euros.

A Câmara Municipal de Lisboa enviou ao Observador um esclarecimento no qual justifica o custo do palco salientando que “a complexidade desta obra não é comparável a nada que tenha sido feito em Portugal”.

Segundo a autarquia “a obra do palco ficará para a cidade e será de fruição dos Lisboetas após a JMJ. A cobertura do palco manter-se-á e será rebaixada para poder ser usada em múltiplos eventos que passem a ter por palco o Parque Tejo, que servirá para acolher os maiores eventos do mundo ao ar livre”.

Diário de Notícias
DN
24 Janeiro 2023 — 15:25



 

published in: 2 semanas 

 

 12 total views