276: DART: “Missão suicida” da NASA para desviar asteróide será filmada e transmitida

CIÊNCIA/NASA/DART

Já aconteceu, pode acontecer de novo e a humanidade tem de ter uma forma de se proteger contra um asteróide massivo em rota de colisão com a Terra. Para testar a actual capacidade de podermos actuar numa situação destas, a NASA pretende promover uma colisão entre a nave DART e o asteróide Dimorphos, do sistema binário Dimorphos-Didymos.

A ideia é a chocar a nave contra a rocha para tentar um ligeiro desvio na sua órbita.

O embate está previsto para o dia 26 de Setembro e a colisão será testemunhada pelo LICIACube, um cubesat italiano.

NASA: DART ataca o alvo

A missão DART, Double Asteroid Redirection Test (Teste de Redireccionamento duplo de Asteróide), foi lançada da Terra a 24 de Novembro de 2021 e tem o objectivo de colidir uma nave contra um sistema de asteróides chamado Dydimos, que inclui o alvo Dimorphos. Não vamos seguramente assistir a uma explosão da rocha, será tentado sim um pequeno empurrão à pequena lua no sistema binário de asteróides Didymos.

Didymos é um asteróide Apollo que tem um satélite natural em órbita, uma espécie de lua, com um período de 11,9 horas, daí a denominação “Didymos”, que significa “gémeo”. O asteróide principal tem cerca de 800 metros de diâmetro, o satélite tem cerca de 150 metros de diâmetro numa órbita a cerca de 1,1 km do primário. A velocidade rotação de Didymos é rápida, 2,26 horas.

Portanto, no dia 26 de Setembro, data marcada para missão, o foco nada mais é do que acertar precisamente no pequeno asteróide satélite, sendo uma missão suicida, já que provavelmente não irá sobrar nada da nave.

Esta imagem da luz do asteróide Didymos e da sua lua em órbita Dimorphos é um composto de 243 imagens tiradas pela Didymos Reconnaissance e asteróide Camera for Optical Navigation (DRACO) a 27 de Julho de 2022. Créditos: Equipa de Navegação JPL DART da NASA

Objectivo: testar a capacidade de salvar um dia a Terra

A NASA está a olhar para missão DART como o primeiro teste real de defesa interplanetária da Terra, considerando a possibilidade de ter sucesso na tentativa de desviar um asteróide que possa ameaçar o nosso mundo. Assim, se bem sucedida, a nave irá alterar o caminho de Dimorphos. No entanto, se de facto ocorrerem alterações na sua órbita, só meses mais tarde se conseguirá perceber.

A ideia é fazer um impacto cinético em Dimorphos, ou seja, lançar a nave com força total conta o asteróide. Se tudo correr como esperado, este impacto poderá alterar o curso da órbita espacial.

Este evento será testemunhado pelo LICIACube. Trata-se de um cubesat italiano, um micro-satélite, de 14 quilos. Este será o responsável por transmitir, em tempo real, todas as informações e imagens para a Terra. Desta forma os cientistas poderão acompanhar o desenrolar do processo.

Missão que pode não surtir qualquer efeito

Todo este processo exige uma afinação nas rotas programadas para levar a nave humana até a uma rota de colisão com a pequena lua de Didymod. Assim, para que o processo seja efectivo, DART terá que ajustar a sua trajectória nas últimas quatro horas antes da colisão e garantir que o impacto seja perfeito.

O pequeno satélite LICIACube está equipado com duas câmaras ópticas e seguirá a nave DART em direcção ao asteróide Dimorphos. Assim que o satélite chegar à distância segura de mil quilómetros do local do impacto, o cubesat italiano ficará estacionado e aguardará a colisão.

Para a Terra não haverá qualquer perigo. Este evento acontecerá a 11 milhões de quilómetros do nosso planeta. Está tão afastado que não permite, por exemplo, que os astrónomos situados no planeta, o consigam ver.

Semanas depois, o que será feito é medir a rota no momento para comparara com a que já seria esperada antes da colisão. Espera-se uma variação na órbita de 12 horas do Dimorphos.

Sobre o impacto e como ficará o asteróide, não haverá qualquer informação, apenas há como objectivo que o pequeno toque que consiga o desvio sem que haja envio de informações do estado da rocha após a colisão da nave DART.

A NASA irá transmitir as imagens  da missão DART directamente da TV NASAsite ou pelo canal do YouTube da agência, às 21 horas (de Portugal continental).

Pplware
Autor: Vítor M
15 Set 2022