Envio de tanques é “envolvimento directo” do Ocidente no conflito, diz Kremlin

 

– “… O Kremlin considerou esta quinta-feira que a decisão dos países ocidentais em fornecer tanques modernos à Ucrânia significa que fazem parte do conflito.

Vamos lá tentar explicar a estas Bestas de Leste analfabetas putinofantoches russonazis 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺 merdosos que a invasão da Ucrânia pela rússianazi 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺 é um acto de guerra e não uma “operação especial”. A Ucrânia é um país soberano e ao ser invadida por outro país, é considerado um acto de guerra. E a Ucrânia não invadiu território russonazi 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺, não atacou localidades russonazis 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺, apenas está a defender-se de uma invasão terrorista e genocida que destrói bens ucranianos e assassina civis indefesos de todas as idades, desde crianças a idosos com a ajuda de mercenários terroristas assassinos wagnerianos. E, é de toda a legalidade, ter o Ocidente como ajuda para repelir esta invasão que é considerada abjecta e não obedecendo à Carta das Nações Unidas nem ao Direito Internacional. No mínimo, se existissem 🍅🍅 por parte do Ocidente, a federação russonazi 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺 deveria ser EXPULSA da ONU a não ser que agora sejam permitidos Estados terroristas, com direito a veto, no seio desta organização. E o que o kremlin diz é para despejar na cagadeira 💩💩💩 que é o lugar de todos eles.

🇺🇦 A UCRÂNIA É DOS UCRANIANOS 🇺🇦

NÃO É DOS RUSSONAZIS 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺

A UCRÂNIA FOI INVADIDA POR TROPAS RUSSONAZIS TERRORISTAS

A posição da presidência russa surge um dia depois de a Alemanha e dos EUA aprovarem o envio de tanques Leopard 2 e M1 Abrams a Kiev. Os carros de combate de fabrico alemão vão chegar à Ucrânia “no final de Março, início de Abril”.

– E já não será tarde demais nessa altura?

Tanque Leopard 2, de fabrico alemão
© EPA/SASCHA STEINBACH

O Kremlin considerou esta quinta-feira que a decisão dos países ocidentais em fornecer tanques modernos à Ucrânia significa que fazem parte do conflito. A posição da presidência russa surge um dia depois de a Alemanha e dos EUA aprovarem o envio de tanques Leopard 2 e M1 Abrams para Kiev.

“As capitais europeias e Washington dão constantemente declarações de que o envio de vários tipos de armas, incluindo tanques, de forma alguma significa o seu envolvimento nas hostilidades. Discordamos veementemente. Em Moscovo, isso é percebido como envolvimento directo no conflito. Vemos que está a aumentar”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov.

A Alemanha anunciou na quarta-feira que deu luz verde ao envio de 14 Leopard 2 e autorizou que outros países possam fornecer este tipo de veículos de combate à Ucrânia. Já os EUA, pela voz do presidente Joe Biden, anunciaram o envio de 31 tanques M1 Abrams para as forças ucranianas.

A decisão de autorizar o envio de tanques a Kiev “segue a nossa linha conhecida de apoiar a Ucrânia da melhor maneira possível”, declarou o chanceler alemão, Olaf Scholz, citado pelo seu porta-voz, Steffen Hebestreit. ​​​​”Actuamos internacionalmente de maneira altamente coordenada”, acrescentou.

Tanques Leopard 2 devem chegar à Ucrânia “no final de Março, início de Abril”, diz Alemanha

O Governo alemão declarou, em comunicado, que, inicialmente, fornecerá à Ucrânia 14 dos seus tanques Leopard 2 A6.

Depois foi a vez do presidente norte-americano, Joe Biden, anunciar o envio de 31 M1 Abrams. “Estes tanques são mais uma prova do nosso compromisso duradouro e incansável com a Ucrânia e nossa confiança nas capacidades das forças ucranianas”, afirmou.

Biden disse, no entanto, que esta decisão não é “uma ameaça ofensiva contra a Rússia”.

No Twitter, Zelensky disse estar “sinceramente grato” ao chanceler alemão, Olaf Scholz, e a todos os amigos da Ucrânia na Alemanha, considerando esta decisão de enviar tanques Leopard 2 para o exército ucraniano como “importante e oportuna”.

Após a declaração de Joe Biden, o presidente ucraniano agradeceu a “decisão poderosa” do homólogo norte-americano. “Um passo importante para a vitória, destacou Zelensky.

Já esta quinta-feira, a Alemanha fez saber que pretende entregar os tanques Leopard 2 à Ucrânia “no final de Março, início de Abril”, disse o ministro alemão da Defesa, Boris Pistorius.

“Está previsto que tenhamos a companhia (de tanques) no final de Março, início de Abril”, na Ucrânia, declarou o governante durante uma visita às tropas das Forças Armadas alemãs na Saxónia-Anhalt (leste).

Já o treino de soldados ucranianos na utilização de blindados leves Marders começará “no final de Janeiro” na Alemanha. O treino referente aos tanques Leopard será “um pouco mais tarde”, acrescentou o ministro alemão.

Notícia actualizada às 11:00

Diário de Notícias
DN/AFP
26 Janeiro 2023 — 10:01



 

published in: 1 semana 

 

 10 total views

221: Joe Biden vai enviar 31 tanques M1 Abrams para a Ucrânia

 

🇺🇦 UCRÂNIA // M1 ABRAMS // AJUDA // 🇺🇸 EUA

O anúncio acontece no mesmo dia em que a Alemanha informou ter autorizado o envio de tanques Leopard 2, de fabrico alemão, para Kiev.

© EPA/Chris Kleponis / POOL

Joe Biden anunciou esta quarta-feira que o governo norte-americano aprovou a entrega às forças armadas da Ucrânia de 31 tanques M1 Abrams.

“Os tanques são a prova do compromisso à Ucrânia. A Europa e os Estados Unidos estão unidos na ajuda à Ucrânia. Putin estava errado, estamos todos unidos”, afirmou na Casa Branca, numa declaração sem direito a perguntas dos jornalistas.

O envio dos carros blindados será acompanhado de outras medidas, como o treino das tropas ucranianas, com o objectivo de “melhorar a sua capacidade de manobra em campo aberto” e as suas capacidades militares a longo prazo, segundo o chefe de Estado norte-americano.

Durante a comunicação, Biden aproveitou para agradecer ao chanceler alemão, Olaf Scholz, pelo envio de tanques Leopard 2 (de fabrico alemão) para a Ucrânia e garantiu que esta medida “não é uma ameaça ofensiva para a Rússia”.

“A Alemanha cumpriu. O chanceler defendeu a unidade (ocidental) em todos os momentos”, acrescentou o líder norte-americano que durante a comunicação esteve acompanhado pelo secretário de Estado, Antony Blinken, e pelo secretário da Defesa, Lloyd Austin.

“Não se trata de uma ameaça ofensiva à Rússia”, esclareceu o Presidente dos Estados Unidos da América (EUA), que conversou esta quarta-feira por telefone com Scholz, bem como com o Presidente francês, Emmanuel Macron, e com os primeiros-ministros de Itália e do Reino Unido, Giorgia Meloni e Rishi Sunak, respectivamente.

A decisão dos EUA de enviar tanques Abrams ocorre no mesmo dia em que Berlim confirmou o fornecimento de 14 tanques Leopard 2 a Kiev, autorizando ainda outros países a enviarem estes veículos de combate para a Ucrânia.

O ministro da Defesa alemão disse que os tanques podem estar operacionais em território ucraniano em cerca de três meses.

A Alemanha tinha dito que os tanques Leopard 2 não seriam enviados a menos que os EUA colocassem os seus Abrams na Ucrânia.

Biden explicou que, no total, os aliados europeus concordaram em enviar tanques suficientes para equipar dois batalhões de carros blindados ucranianos, num total de 62 tanques.

“Com a chegada da primavera, as forças ucranianas estão a trabalhar para defender o território que controlam e a preparar-se para contra-ataques”, disse Biden.

A ofensiva militar russa no território ucraniano, lançada a 24 de Fevereiro do ano passado, mergulhou a Europa naquela que é considerada a crise de segurança mais grave desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A invasão russa — justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de “desnazificar” e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia – foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

Diário de Notícias
DN
25 Janeiro 2023 — 18:34



 

published in: 1 semana 

 

 11 total views

216: Alemanha confirma entrega de tanques Leopard à Ucrânia

 

🇺🇦 SLAVA UKRAYINI 🇺🇦
🇩🇪 ALEMANHA // 🇺🇦 UCRÂNIA // LEOPARD 2

Berlim vai fornecer 14 tanques Leopard 2 a Kiev e concede autorização a outros países para que possam enviar este tipo veículos à Ucrânia. Ministro da Defesa alemão disse que os tanques podem estar operacionais em território ucraniano em cerca de três meses.

Um tanque Leopard 2 do exército alemão durante um exercício militar da NATO
© EPA/FOCKE STRANGMANN

Alemanha aprovou esta quarta-feira a entrega de tanques Leopard 2 à Ucrânia, após semanas de pressão para autorizar esta ajuda militar a Kiev no combate às forças russas.

Berlim vai fornecer 14 tanques Leopard 2 A6 ao exército ucraniano e concede autorização para que outros países europeus possam enviar este tipo de veículos a Kiev, disse o porta-voz do governo alemão, Steffen Hebestreit, em comunicado.

“O objectivo é reunir rapidamente dois batalhões com tanques Leopard 2 para a Ucrânia”, informou.

“Esta decisão segue a nossa linha conhecida de apoiar a Ucrânia da melhor maneira possível. Actuamos internacionalmente de maneira altamente coordenada”, declarou o chanceler alemão, Olaf Scholz, citado pelo porta-voz Steffen Hebestreit.

Em comunicado, o governo alemão declarou que, inicialmente, fornecerá à Ucrânia 14 dos seus tanques Leopard 2 A6. A Alemanha e os seus aliados deverão fornecer ao exército ucraniano um total de 88 tanques.

O ministro da Defesa alemão, citado pela CNN International, disse que os tanques Leopard 2 podem estar operacionais na Ucrânia dentro de cerca três meses.

Boris Pistorius considerou que a decisão da Alemanha de enviar estes carros de combate foi “histórica”. É importante, no entanto, que “não nos tornemos parte da guerra”, alertou o ministro alemão.

Zelensky está “sinceramente grato” a Scholz e a “todos os amigos na Alemanha”

A decisão de Berlim surgiu após as autoridades dos EUA anunciarem que foi fechado um acordo preliminar para enviar tanques M1 Abrams a Kiev para ajudar a repelir as forças russas entrincheiradas no leste da Ucrânia.

Scholz insistiu que qualquer movimento para fornecer à Ucrânia os poderosos tanques Leopard 2 precisaria ser coordenado com os aliados da Alemanha, principalmente os Estados Unidos.

Ao conseguir que Washington comprometa alguns dos seus próprios tanques, Berlim espera dissipar o risco de qualquer reacção da Rússia.

O treino de soldados ucranianos começará rapidamente na Alemanha. Além disso, a Ucrânia receberá também um pacote que incluirá logística, munição e manutenção do sistema, acrescenta-se no comunicado.

O porta-voz alemão especificou ainda que a Alemanha emitirá as licenças de transferência correspondentes para os países parceiros que desejem entregar rapidamente os tanques Leopard 2 das suas reservas para a Ucrânia.

O presidente ucraniano manifestou-se “sinceramente grato” a Olaf Scholz e a “todos os amigos na Alemanha” pela decisão de autorizar o envio de tanques Leopard 2 a Kiev.

Numa mensagem publicada nas redes sociais, Volodymyr Zelensky afirmou que foi o próprio chanceler alemão quem lhe comunicou a decisão de autorizar o envio de tanques Leopard para o território ucraniano. “É uma decisão importante e oportuna”, considerou o presidente da Ucrânia.

“O primeiro passo sobre os tanques foi dado. A seguir a coligação de tanques. Precisamos de muitos Leopards “, afirmou, anteriormente, o chefe da administração presidencial da Ucrânia, Andriy Yermak, nas redes sociais, referindo-se a outros países que disseram que iriam também enviar os tanques com a aprovação de Berlim.

O primeiro-ministro da Polónia, Mateusz Morawiecki, também aplaudiu a decisão da Alemanha. Recorde-se que o país já tinha feito um pedido formal a Berlim para fornecer estes veículos de combate, de fabrico alemão, a Kiev.

“É um grande passo para deter a Rússia”, considerou o chefe de Governo polaco.

Rishi Sunak, primeiro-ministro britânico, considerou que o envio de tanques, de fabrico alemão, ao exército ucraniano é uma “decisão certa” dos aliados e parceiros da NATO.

Os tanques Leopard 2 vão “fortalecer o poder de fogo defensivo da Ucrânia”, sublinhou.

“Juntos, estamos a acelerar os nossos esforços para garantir que a Ucrânia vença esta guerra e assegure uma paz duradoura”, destacou o primeiro-ministro britânico nas mensagem divulgada no Twitter.

Tanques ocidentais “vão arder, como todos os outros”, diz Kremlin

Já esta quarta-feira o Kremlin fez saber que os tanques ocidentais “vão arder” se forem entregues à Ucrânia, tal como acontece com todos os outros. Uma posição tornada pública antes de a Alemanha confirmar a entrega dos tanques Leopard a Kiev.

– Ó basófias, refere-te aos teus tanques que foram destruídos na Ucrânia. Olha só: um inventário de 5.549 itens militares russos perdidos, 3.614 deles destruídos de forma definitiva. Foram capturados para uso, segundo o Oryx, 1.500 armamentos diversos. Só do modelo de tanque mais usado na guerra por Moscovo, versões do T-72, foram 555 baixas.11/09/2022“. E esta hein?

O Ocidente “super-estima o potencial que (os tanques) podem dar ao Exército ucraniano”, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov. “Esses tanques vão arder, como todos os outros. São muito caros”, frisou.

Esta semana, Peskov afirmou que um eventual fornecimento de tanques alemães à Ucrânia – agora confirmado – não traria “nada de bom” quanto ao futuro da relação entre Berlim e Moscovo.

O porta-voz do Kremlin disse, anteriormente, que as armas ocidentais entregues à Ucrânia vão servir apenas para prolongar o conflito e o sofrimento dos civis ucranianos.

Diário de Notícias
DN/AFP/Lusa
25 Janeiro 2023 — 12:17



 

published in: 1 semana 

 

 12 total views,  1 views today

204: Alemanha autoriza o envio de tanques Leopard para a Ucrânia

 

– Curioso! Antes, os EUA não forneceriam tanques M1 Abrams à Ucrânia porque estes tinham uma manutenção especial e não eram adequados à guerra na Ucrânia. Agora já fornecem? Depois dos alemães libertarem o envio dos Leopard 2? Será que os alemães deixaram de ter medo que os russonazis 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺 ficassem zangados com eles?

🇩🇪 ALEMANHA // TANQUES LEOPARD 2 // ENVIO //
🇺🇦 UCRÂNIA // 🇺🇸 EUA // M1 ABRAMS

Governo norte-americano está prestes a aprovar a entrega às forças armadas da Ucrânia de tanques M1 Abrams.

© EPA/JAKUB KACZMARCZYK POLAND OUT

A Alemanha aprovou o envio de tanques Leopard 2 para a Ucrânia e está disposta a autorizar a transferência para aquele país de pelo menos uma companhia do modelo Leopard 2A6, avançou esta terça-feira o semanário alemão Der Spiegel.

“Após meses de debate, o chanceler [Olaf] Scholz decidiu entregar tanques de guerra à Ucrânia. Os aliados também parecem querer alinhar. Os tanques Abrams podem vir dos EUA”, lê-se na edição online do jornal alemão.

A agência EFE, citando o Der Spiegel e o canal de televisão NTV, acrescenta que o exército alemão disponibilizará tanques do modelo Leopard 2A6 e que o Governo de Scholz autoriza os outros países a reexportarem unidades dos Leopard 2 comprados à Alemanha.

A pressão sobre a Alemanha para autorizar a reexportação de tanques Leopard 2 de fabrico alemão aumentou nas últimas semanas e esta terça-feira, confrontada com um pedido formal apresentado pela Polónia, Berlim abriu caminho para isso acontecer.

Numa conferência de imprensa em Berlim com o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, também esta terça-feira o ministro da Defesa alemão, Boris Pistorius tinha já encorajado os países que pretendem fornecer tanques Leopard à Ucrânia a iniciar o treino dos militares ucranianos que os venham a operar.

Scholz também autorizou o pedido da Polónia para transferir 14 carros blindados Leopard 2 para a Ucrânia, na tentativa de repelir as forças russas que invadiram o território ucraniano em Fevereiro de 2022.

Esses tanques, por serem de fabrico alemão, só podem ser reexportados com uma autorização da Alemanha.

Paralelamente, o governo norte-americano está prestes a aprovar a entrega às forças armadas da Ucrânia de tanques M1 Abrams, adiantaram esta terça-feira autoridades dos EUA, enquanto os aliados debatem o envio deste tipo de equipamento militar.

A decisão, que a confirmar-se representa uma mudança de planos por parte da administração de Joe Biden sobre estes tanques de guerra de fabrico norte-americano, pode ser anunciada esta quarta-feira, embora possa levar meses ou anos até que os M1 Abrams sejam entregues, noticiou a agência Associated Press (AP).

Altos responsáveis dos EUA adiantaram à AP, sob condição de anonimato, que os detalhes ainda estão a ser trabalhados, mas que o anúncio pode ocorrer em coordenação com a autorização da Alemanha ao pedido da Polónia para transferir para Kiev os tanques Leopard 2 de fabrico alemão.

O porta-voz do Departamento de Defesa norte-americano (Pentágono) disse hoje que “no momento” os EUA não têm nenhum anúncio para fazer sobre as notícias do envio dos Abrams à Ucrânia.

Em conferência de imprensa, Pat Ryder recordou que o seu país continua em contacto “estreito” com os ucranianos e aliados internacionais sobre os requisitos de segurança mais urgentes para Kiev.

Uma das fontes oficiais referiu à AP que a compra destes tanques será integrada num próximo pacote da Iniciativa de Assistência à Segurança da Ucrânia, que fornece financiamento de longo alcance para armas e equipamentos a serem comprados a fornecedores comerciais.

As armas fornecidas através desta iniciativa podem levar muitos meses ou vários anos para chegarem ao campo de batalha, sendo que grande parte da ajuda foi enviada até agora através de um programa separado que utiliza as reservas do Pentágono para enviar armas mais rapidamente para a Ucrânia.

Também não foram imediatamente divulgados quantos tanques podem ser enviados.

Até agora, os Estados Unidos resistiram a aprovar o fornecimento dos seus próprios tanques M1 Abrams para a Ucrânia, apontando para a necessidade de manutenção extensa e complexa ou desafios logísticos com estes veículos altamente tecnológicos.

A ofensiva militar russa no território ucraniano, lançada a 24 de Fevereiro do ano passado, mergulhou a Europa naquela que é considerada a crise de segurança mais grave desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

A invasão russa — justificada pelo Presidente russo, Vladimir Putin, com a necessidade de “desnazificar” e desmilitarizar a Ucrânia para segurança da Rússia – foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que tem respondido com envio de armamento para a Ucrânia e imposição à Rússia de sanções políticas e económicas.

em actualização

Diário de Notícias
DN
24 Janeiro 2023 — 18:58



 

published in: 1 semana 

 

 11 total views,  1 views today