1054: 🇺🇦 GUERRA NA UCRÂNIA 🇺🇦

Em destaque

A partir desta data (03.12.2022), por decisão pessoal e porque estava a consumir bastantes recursos no alojamento (hosting) deste Blogue, deixarei de publicar, na íntegra, os artigos relacionados com a invasão russonazi 🇷🇺☠️卐☠️🇷🇺 que resultou na Guerra na Ucrânia.

Foi criada esta PÁGINA que mencionará os títulos das notícias com link directo às fontes.

03.12.2022

🇷🇺 RUSONAZSʹKI VBYVTSI 🇷🇺

🇷🇺 RÚSSIA – ESTADO TERRORISTA 🇷🇺



 

729: Russos recuam da margem do rio em frente a Kherson, na Ucrânia

🇺🇦 SLAVA UKRAYINI 🇺🇦
🇺🇦 UKRAYINA NE ROSIYSʹKA 🇺🇦

🇺🇦 UKRAINA – NE ROSSIYA 🇺🇦
🇺🇦 HEROYAM SLAVA 🇺🇦

🇬🇧 DROP ALL RUSONAZI ORCS FROM UKRAINE
🇺🇦 VYHNITʹ Z UKRAYINY VSIKH RUSONAZIVSʹKYKH ORKOV
🇷🇺 VYBROSITE VSEKH ORKOV RUSONAZI IZ UKRAINY

UCRÂNIA/KHERSON/RUSSONAZIS ☠️卐☠️ /FUGA

KHERSON, Ucrânia (Reuters) – A Rússia retirou tropas e administradores civis de cidades às margens do rio Dnipro, em frente à Kherson, nesta terça-feira, em sinal de que os russos podem estar recuando ainda mais depois de entregar seu maior prémio ucraniano na semana passada.

Após perdas no campo de batalha Moscovo promoveu aparentes ataques de longo alcance na capital Kiev, onde as sirenes de ataque aéreo soaram, duas explosões foram ouvidas e colunas de fumaça podiam ser vistas subindo do solo.

As forças ucranianas invadiram Kherson nos últimos dias para reivindicar o maior prémio da guerra até agora, uma cidade que o presidente russo, Vladimir Putin, proclamou seis semanas atrás que seria para sempre da Rússia.

A Rússia havia dito que estava arrastando suas forças através do rio Dnipro para posições de mais fácil defesa na margem oposta. Mas em um vídeo gravado na cidade de Oleshky, do outro lado de uma ponte desmoronada sobre o Dnipro a partir de Kherson, não havia sinal de qualquer presença russa.

Um motorista dirigiu pela estrada principal deserta por quilómetros em alta velocidade sem encontrar um único posto de controle ou bandeira russa. Vários bunkers montados ao longo da estrada pareciam ter sido abandonados. A localização do vídeo foi confirmada pela Reuters com base em pontos de referência visíveis.

Os militares ucranianos disseram durante a noite que atiraram contra posições inimigas em Oleshky, mas as autoridades ucranianas não comentaram as imagens que parecem mostrar que as tropas russas se retiraram para o local.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, disse a líderes mundiais que não haverá trégua na campanha militar da Ucrânia para expulsar as tropas russas de seu país, após a vitória na semana passada na única capital regional que a Rússia havia capturado desde a invasão.

“Não permitiremos que a Rússia espere, construa suas forças e inicie uma nova série de terror e desestabilização global”, disse ele em um discurso a partir de uma transmissão em vídeo para a cúpula das grandes economias do G20 na Indonésia.

“Estou convencido de que agora é o momento em que a guerra destrutiva russa precisa e pode ser interrompida.”

MSN Notícias
IstoÉ IstoÉ
Reuters
15.11.2022



 

685: Russas ameaçam ir para a linha da frente e trazer os maridos para casa

“… “Os rapazes ficaram presos numa armadilha, foram mortos tanto pelo inimigo como pelo nosso exército russo”, referiram os familiares.”

Os vossos “rapazes” andaram a matar civis inocentes a que vocês chamam de “inimigo”, a destruir um país soberano que não é uma colónia dos russonazis ☠️卐☠️ a que vocês pertencem. Peçam contas ao ayatollah terrorista assassino putineiro! Por isso… paciência! Quem com ferro mata, com ferro morre ou quem vai à guerra… dá e leva!

🇺🇦 SLAVA UKRAYINI 🇺🇦
🇺🇦 UKRAYINA NE ROSIYSʹKA 🇺🇦

🇺🇦 UKRAINA – NE ROSSIYA 🇺🇦
🇺🇦 HEROYAM SLAVA 🇺🇦

🇬🇧 DROP ALL RUSONAZI ORCS FROM UKRAINE
🇺🇦 VYHNITʹ Z UKRAYINY VSIKH RUSONAZIVSʹKYKH ORKOV
🇷🇺 VYBROSITE VSEKH ORKOV RUSONAZI IZ UKRAINY

ORCS/RUSSONAZIS ☠️卐☠️ /GUERRA/UCRÂNIA

Esposas de soldados russos estão a ameaçar ir para a linha da frente na Ucrânia e trazer os maridos de volta para casa após uma operação que deixou múltiplos feridos, de acordo com vídeos que circulam nas redes.

Vitaly V. Kuzmin / Wikimedia

No vídeo, publicado no Telegram do Verstka, ouve-se uma mulher a dizer aos oficiais para devolverem os maridos ou então seriam “despedaçados”, relatou a Newsweek.

Segundo a publicação, mais de 20 familiares de homens convocados para lutar na Ucrânia, no âmbito da mobilização parcial decretada pelo Presidente Vladimir Putin, a de 21 de Setembro, dirigiram-se na quarta-feira a uma unidade militar na cidade de Valuyki, em Belgorod, perto da fronteira com a Ucrânia, exigindo respostas.

Os familiares, das regiões de Voronezh, Kursk e Belgorod, disseram que os homens tinham sido atacados em Makiivka, uma cidade na região de Donetsk, na Ucrânia. Relataram ainda que muitos ficaram feridos e exigiram que os seus maridos regressassem a casa.

Os sobreviventes do ataque tentam regressar a pé à região de Belgorod – uma distância de cerca de 150 quilómetros -, muitos a carregar os feridos às costas.

As mulheres pediram aos oficiais russos que fossem buscar os deslocados de carro, ameaçando irem elas próprias à Ucrânia para os levar para casa caso os militares se recusassem a ajudar.

Noutro vídeo, um grupo de mulheres exigia respostas após a aparente retirada das forças de Putin da cidade de Kherson, na Ucrânia.

No vídeo, as mulheres falam com um homem, supostamente um administrador da cidade. “Esposas de soldados mobilizados de Kursk numa discussão com a administração da cidade”, pode ler-se na legenda da publicação.

“Os homens foram enviados para a linha da frente, as suas unidades foram destruídas uma a uma, pelo que alguns se retiraram para Starobilsk. Note-se a linguagem utilizada pelo representante da administração”, lê-se ainda.

O Meduza, sediado na Letónia, também informou na quinta-feira que familiares de russos enviados para a Ucrânia com pouca ou nenhuma formação exigiam que voltassem a casa.

Os residentes de Vologda, na Rússia, apelaram ao governador regional para que os seus familiares, mobilizados no início de Outubro, foram enviados para a região de Luhansk, na Ucrânia, e transferidos para a linha da frente perto de Svatovo.

“Os rapazes ficaram presos numa armadilha, foram mortos tanto pelo inimigo como pelo nosso exército russo”, referiram os familiares.

ZAP //
12 Novembro, 2022



 

Vendam a TAP… enquanto há tempo!

OPINIÃO

Não direi nada de novo, mas há coisas que vale a pena repetir, por muito que todos os dias sejam ditas.

Na passada semana compromissos profissionais levaram-me ao Brasil, onde visitei 4 cidades, 3 universidades e outros tantos eventos onde as Instituições do Ensino Superior portuguesas procuram convencer estudantes daquele país a estudarem em Portugal.

Não é disto que vos vou falar, nem tão pouco das sensações que o momento político brasileiro me transmitiu.

Vou falar-vos das viagens no sentido literal do termo, para vos explicar como um (ex-)defensor acérrimo da TAP como companhia aérea de bandeira se convence, a cada viagem, que é preciso vender a companhia…

Realizei 5 voos no intervalo de 9 dias, sendo 4 executados pela companhia brasileira AZUL e um pela TAP.

O primeiro voo AZUL saiu de Lisboa a horas, num avião moderno, limpo e com cadeiras (na classe turística) acima da média, pois incluíam apoio de pernas. O serviço de bordo foi também acima do expectável, já que em 10 horas de voo foram servidas 3 refeições.

Os 3 voos seguintes foram voos domésticos entre cidades brasileiras, todos executados pela AZUL, com a companhia a cumprir.

O voo de regresso a Lisboa foi TAP. O avião chegou com 1 hora de atraso, que se reflectiu numa saída com igual atraso e uma chegada a Lisboa depois da hora prevista. O avião já não parece deste tempo, com conforto muito inferior ao da companhia brasileira.

Das tripulações nada a dizer, pois todas elas eram compostas por profissionais no verdadeiro sentido da palavra, mas a percepção com que ficamos a bordo é de que a tripulação de um voo TAP é sempre maior que a da concorrência.

Será uma percepção errada? Certeza temos no serviço… com o avião da AZUL a chegar limpo ao destino, pois a tripulação tem o cuidado de recolher o lixo (separado inclusive por critérios de reciclagem), enquanto o avião da TAP chegou a Lisboa com lixo e mantas espalhados pelo chão. Claro que os passageiros têm a maior parte da culpa, mas pode fazer-se melhor.

Sobre a recolha de bagagem: em Lisboa com malas prioritárias esperámos 40 minutos após aterrar para estas saírem no tapete, o dobro do tempo de qualquer aeroporto brasileiro, sendo que um deles é concessionado à mesma empresa que administra o Humberto Delgado.

Em conclusão, a percepção que temos confirma o que muitos especialistas têm dito. A TAP precisa de aviões mais modernos, de ajustar o serviço a bordo e de criar alternativas aos atrasos dos voos.

Se a TAP voasse do Porto directo para o Brasil, muitos de nós optariam pelo Porto, como já fazemos nos voos para a Europa, onde o aeroporto funciona melhor e com menos atrasos. Talvez vendendo a TAP os novos donos o percebam.

Quanto ao serviço do aeroporto, Lisboa é um bonito centro comercial, mas falta-lhe eficácia.

Para segurar os que ainda são clientes e defenderem os contribuintes, vendam a TAP… enquanto há tempo!

Presidente do Instituto Politécnico de Coimbra

Diário de Notícias
Jorge Conde
03 Novembro 2022 — 06:14



 

Voltando à “carga” com o “apoio extraordinário” aos pensionistas

OPINIÃO

O apoio é atribuído aos residentes com rendimento bruto até 2.700 euros por mês“.

Continuo a considerar este apoio imoral, inadequado, associal, sem nexo, pensado e executado por gente que não necessita de contar os cêntimos que saem da algibeira a cada dia da sua existência.

Dou um exemplo realístico e não no diz-que-disse ou em hipótese imaginária: conheci alguém com uma pensão de cerca de 2.500,00 euros mensais. Vai receber desta “medida extraordinária”, 1.250,00 euros; quem tem uma pensão de 500,00 euros (e já nem menciono os milhares de idosos com pensões inferiores), vai receber 250,00 euros.

Será isto humanamente justo? Quem mais precisa é quem mais é “castigado” pelas medidas da governança?

O meu próprio exemplo e em sede de IRS: quando minha esposa ainda era viva, o casal descontava 14% para o cálculo do IRS (pagávamos 831,15 euros). Quando minha esposa faleceu em 2016, passei a solo, não casado, e a descontar 28% para o IRS (1.669,69 euros).

Ou seja, menos um rendimento (reduzido a metade) e o DOBRO do imposto? Será isto humanamente justo? Quem mais precisa é quem mais é “castigado” pelas medidas da governança?

Começa o inferno este mês de reduzir ainda mais o meu orçamento. Acabei de receber (Domingo), uma comunicação Via CTT, emanada da AT – Autoridade Tributária, para liquidar até 30.Set.2022, a primeira prestação (de sete) de 143,53 euros, referente ao plano de liquidação do IRS de 2021.

Será isto humanamente justo? Quem mais precisa é quem mais é “castigado” pelas medidas da governança?

E quem não tem qualquer tipo de rendimento (DESEMPREGADO) vai receber apenas 125,00 euros, quando só para a renda da casa são 531,00 euros (e não é nenhum condomínio privado mas em prédio antigo, construção de tabique)? Será isto humanamente justo? Quem mais precisa é quem mais é “castigado” pelas medidas da governança?

Face a estas discrepâncias, onde o fosso social é cada vez maior entre ricos e pobres, não posso ficar calado mas sim revoltado porque não é justo que quem mais tem e não precisa, é quem mais recebe em detrimento de quem está na merda!

11.09.2022