617: Zimbabué enviou satélite para o espaço apesar da grave crise económica

– “… Lançar um satélite quando a economia está fragilizada é estúpido. A pobreza aumentou nos últimos cinco anos. Não se pode comprar um carro quando a família está a morrer de fome“.

ZIMBABUÉ/POBREZA/SATÉLITE

O Zimbabué, país da África Austral que atravessa uma grave crise económica, entrou esta segunda-feira para o clube dos Estados com satélites no espaço, ao anunciar o envio do primeiro engenho da sua história.

Ilustração do foguetão que a bordo levou três CubeSats desenvolvidos pelo Zimbabué, Uganda e Japão, segundo informou a NASA.
© Twitter

O satélite é um pequeno bloco do tamanho de uma caixa de sapatos que vai tirar fotos da Terra e recolher dados.

“A História está a caminho. #ZimSat1 está no espaço!”, escreveu na rede social Twitter o porta-voz do Governo, Nick Mangwana, que saudou o feito como “um importante passo científico para o país”.

Um foguete partiu às 10:32 TMG (mesma hora em Lisboa) na Virgínia, nos Estados Unidos da América, uma carga com destino à Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), levando a bordo três CubeSats desenvolvidos pelo Zimbabué, Uganda e Japão, confirmou a NASA.

“Os satélites tirarão fotos da Terra para recolha de dados de monitoramento do clima e desastres“, disse a agência espacial norte-americana também no Twitter, numa mensagem com uma foto dos pequenos centros de tecnologia, cada um decorado com a respectiva bandeira nacional.

As imagens recolhidas também permitirão distinguir o solo não arborizado e terras agrícolas e que podem ser usadas “para melhorar os meios de subsistência dos cidadãos do Uganda e do Zimbabué”, anunciou também a agência espacial norte-americana NASA num comunicado.

O Zimbabué está a trabalhar no projecto desde 2018, menos de um ano após a posse do Presidente Emmerson Mnangagwa, que sucedeu a Robert Mugabe e criou a Agência Nacional Geoespacial e Espacial do Zimbabué (Zingsa, no acrónimo em inglês).

Neste país assolado pela pobreza e com uma economia debilitada, o anúncio da colocação em órbita de um satélite provocou fortes reacções nas redes sociais. O custo do projecto não foi divulgado.

“Lançar um satélite quando a economia está fragilizada é estúpido. A pobreza aumentou nos últimos cinco anos. Não se pode comprar um carro quando a família está a morrer de fome”, escreveu nas redes sociais alguém que assina como @patriot263.

O Zimbabué está mergulhado numa profunda crise económica há 20 anos e continua a ser alvo de sanções internacionais.

Em Setembro, o Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou novas previsões de crescimento em baixa, em particular devido à queda na produção agrícola.

Diário de Notícias
DN/Lusa
07 Novembro 2022 — 21:17